A Comissão Europeia acusou esta terça-feira a gigante tecnológica liderada por Jeff Bezos de ter violado as regras da concorrência em países como a França e a Alemanha. Os reguladores queixam-se de a Amazon ter usado dados privados dos vendedores independentes que usam a plataforma em seu benefício, distorcendo a concorrência no mercado do comércio eletrónico.

Caso se prove que as acusações são verdadeiras, a Amazon poderá ter de pagar 28 mil milhões de dólares (23,6 mil milhões de euros), o que corresponde a 10% da faturação total anual, explica a Business Insider.

Além desta acusação, a Comissão Europeia abriu outra investigação. Desta vez para averiguar se a empresa tem praticado tratamento preferencial sobre os seus produtos e os dos vendedores que usem, por exemplo, a Amazon Prime — em detrimento dos restantes.

Devemos garantir que as plataformas com poder de mercado, como a Amazon, não desvirtuam a concorrência. Os dados sobre a atividade de vendedores terceiros não devem ser usados em benefício da Amazon, que é concorrente destes vendedores. As condições da competição da Amazon devem ser justas”, disse Margrethe Vestager, vice-presidente executiva da União Europeia (UE), a desempenhar funções relacionadas com a política de concorrência.

A Comissão questiona a empresa pelo uso sistemático de dados dos comerciantes que não são públicos. A acusação diz que a empresa de Jeff Bezos os utilizou para evitar “riscos normais da concorrência e permitir o seu domínio” no comércio eletrónico em França e na Alemanha — os dois maiores mercados da UE.

As conclusões preliminares da investigação de Bruxelas alegam que a Amazon conseguia determinar quais eram os produtos mais vendidos de outros comerciantes e, a partir daí, dar mais visibilidade a produtos idênticos seus.

Já a segunda investigação relaciona-se com as práticas de negócio da Amazon Prime (um serviço de subscrição da marca), que poderão ter beneficiado artificialmente os próprios retalhistas ou aqueles que utilizavam os serviços logísticos e de entrega da multinacional.

Se as acusações da Comissão Europeia se confirmarem, a Amazon poderá ter de pagar uma multa de 28 mil milhões de euros — 10% do valor da faturação total da empresa em termos globais em 2019. A Amazon terá agora de responder às acusações da Comissão Europeia.

Esta não é a primeira investigação que a União Europeia faz à Amazon. Em julho de 2019, a Comissão Europeia lançou uma investigação antitruste à empresa de comércio online.