O Bloco de Esquerda perdeu três pontos percentuais nas intenções de voto, caindo para 7,7%, segundo uma sondagem da Intercampus para o Negócios/Correio da Manhã que foi feita no período marcado pela discussão do Orçamento do Estado para 2021 (que foi chumbado pelos bloquistas na generalidade). E parece ter sido, segundo esta mesma sondagem, o PAN a capitalizar mais intenções de voto perdidas pelo partido liderado por Catarina Martins.

A mesma sondagem revela que, entre os dois maiores partidos, o PS baixa ligeiramente mas continua na frente com 37,1% das intenções de voto – por seu lado, o PSD também tem uma pequena descida para os 24,2%, fazendo aumentar um pouco a distância entre os dois partidos (quase 13 pontos percentuais).

À direita, apenas a Iniciativa Liberal ganhou algum “terreno” ascendendo para os 3,3% das intenções de voto, o CDS-PP fixa-se nos 4,1% e o Chega perde meio ponto percentual mas está com 7,3% das intenções de voto, segundo esta sondagem, muito próximo do Bloco de Esquerda.

Já a CDU, embora tenha crescido nas intenções de voto (para 4,9%) parece ter sido capaz de capitalizar menos votos perdidos pelo Bloco de Esquerda do que o PAN: o partido Pessoas-Animais-Natureza soma 5,3% das intenções de voto nesta sondagem.

O último partido a surgir nesta sondagem é o Livre, que sobe um ponto percentual para 1,8%, mesmo sem ter representação parlamentar desde a cisão da deputada Joacine Katar Moreira.