Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Criação de canais de denúncia de suspeitas de corrupção ou irregularidades por parte dos juízes,  alargamento da possibilidade de suspensão de magistrados judiciais envolvidos em investigações criminais ou disciplinares, investigação preventiva pelo conselhos superiores de eventuais sinais exteriores de riqueza dos magistrados judiciais e proibição de regresso à magistratura dos juízes que exerçam cargos políticos.

Estas são as principais propostas da Associação Sindical de Juízes Portugueses para um reforço da transparência e integridade da magistratura judicial e uma resposta às consequências negativas da Operação Lex para a imagem dos tribunais. A direção da ASJP liderada pelo desembargador Manuel Ramos Soares já propôs aos conselhos superiores da Magistratura e do Tribunais Administrativos e Fiscais que estas ideias sejam discutidas em plenário daqueles dois órgãos de gestão e disciplinar mas ainda não obteve resposta.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.