Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Comissão Europeia quebra finalmente o silêncio e critica publicamente a decisão norueguesa de cortar unilateralmente à UE a quota de pesca de bacalhau em Svalbard — tendo em conta o estatuto muito especial deste arquipélago. E admite mesmo, em declarações ao Observador, tomar “medidas adequadas” para impedir que essa redução avance.

Em vésperas de Natal (e do acordo entre a UE e o Reino Unido), a Noruega ditou novas regras para o bacalhau de Svalbard, impondo um corte para este ano no máximo de capturas dos estados-membros, de 24.566 para 17.885 toneladas.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.