Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Guiseppe Conte apresentou esta terça-feira a demissão do cargo de primeiro-ministro de Itália, que ocupava desde 2018. Conte esteve reunido durante a manhã com o Presidente italiano, Sergio Mattarella, que recebeu a sua demissão. Antes disso, participou numa reunião extraordinária do Conselho de Ministros, onde comunicou formalmente a decisão de abandonar o cargo.

A demissão de Conte resulta da falta de apoios ao seu governo de coligação, uma crise provocada pela saída do Itália Viva, de Matteo Renzi. Renzi tem tecido nas últimas semanas duras críticas ao governo do primeiro-ministro demissionário, nomeadamente à gestão da pandemia e às medidas de recuperação da crise económica provocada pela Covid-19.

A crise levou ainda à demissão de duas ministras e deixou o governo de Conte sem a maioria no Senado. Na passada semana, o governante pediu a este órgão uma manifestação de apoio ao seu governo, mas falhou os 161 votos necessários para obter a maioria absoluta.

Sergio Mattarella vai reunir-se com as forças políticas italianas a partir desta quarta-feira para a formação de um novo governo. Conte ter-se-á mostrado disponível para formar um novo governo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR