O Governo da Madeira admitiu, esta segunda-feira, que na próxima semana se possa aligeirar as medidas restritivas em vigor desde janeiro na região para combater a pandemia da Covid-19.

O vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, revelou que a decisão poderá ser anunciada até à próxima segunda-feira, mas que dependerá da análise da situação sanitária no arquipélago nos últimos 15 dias, tendo em conta o regresso das aulas presenciais no 3.º ciclo e no ensino secundário e do período da Páscoa.

À margem da inauguração do Espaço Cidadão na freguesia de Santo António, concelho do Funchal, Pedro Calado sublinhou que o Governo Regional está a tentar gerir da melhor forma a relação entre epidemia e a economia, pelo que admitiu “o aligeirar de algumas medidas tomadas em janeiro” de contenção da doença.

O governante considerou que a “vacinação está a correr muito bem”, lembrando que já houve uma “reabertura cautelosa de muitas atividades”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Até ao dia 26, o presidente do Governo Regional [Miguel Albuquerque] fará o ponto da situação”, acrescentou.

Pedro Calado revelou ainda que está a ser preparada “uma carrinha itinerante” da Loja do Cidadão para levar os seus serviços até às populações.

Considerou ainda uma “excelente notícia” o reforço da operação da TAP com seis voos por semana para a ilha do Porto Santo, hoje anunciado.

Segundo a Direção Regional de Saúde, a Madeira tinha até domingo 8.737 casos confirmados de covid-19, 8.351 recuperações, 71 óbitos associados à doença e 315 situações ativas.

O Governo da Madeira decidiu na quinta-feira prolongar até 26 de abril o recolher obrigatório entre as 19:00 e as 05:00 do dia seguinte, durante a semana, e entre as 18:00 e as 05:00, ao fim de semana e feriados.

No arquipélago, as atividades comerciais, industriais e de serviços, tal como a restauração, encerram durante a semana às 18:00 e aos fins de semana às 17:00, sendo que o horário de entrega de refeições ao domicílio decorre até às 22:00, todos os dias da semana.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.020.765 mortos no mundo, resultantes de mais de 141,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.946 pessoas dos 831.221 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.