Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Dinheiro, bilhetes para museus, cerveja, comida e até canábis. As ofertas destinadas a quem tomar a vacina contra a Covid-19 são muitas e fazem parte de uma estratégia que pretende promover a vacinação nos Estados Unidos da América, convencendo os mais relutantes.

A vacinação nos Estados Unidos está a decorrer a bom ritmo. De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças, cerca de um terço da população já recebeu as duas doses da vacina e mais de 147 milhões de pessoas foram imunizadas com pelo menos uma. A meio de abril, foram administradas em média 3,38 milhões de doses por dia e, segundo os dados mais recentes, nos estados do New Hampshire, Massachusetts e Vermont, foram vacinados com pelo menos uma dose mais de 70% dos adultos, a nova meta estabelecida por Joe Biden, que quer atingir essa mesma percentagem em termos nacionais até 4 de julho, o Dia da Independência.

Esta não é, no entanto, uma realidade transversal a todo o país. Muitos norte-americanos permanecem desconfiados em relação à vacina e mesmo relutantes em tomá-la. De tal forma que, segundo a CNN, a taxa de vacinação tem vindo a cair.  Um inquérito realizado no Wyoming concluiu que mais de um quarto dos adultos não irão ou “provavelmente não irão” ser vacinados. A mesma resposta foi dada por mais de 20% dos inquiridos nos estados de Montana, North Dakota, Kentucky e Ohio. Também no Wyoming e ainda em North Dakota e Montana, 30% disse estar hesitante em relação à vacinação, refere a CNN.

Procurando combater esta tendência, organismos governamentais e empresas privadas têm tomado diferentes iniciativas que procuram convencer os indecisos. Na segunda-feira, o estado de Maryland anunciou que ia oferecer 100 dólares aos funcionários públicos vacinados com duas doses e penalizar aqueles que se recusassem a ser imunizados. O governador, Larry Hogan, disse na altura, de acordo com o Financial Times, que era uma medida que visava “reforçar a importância de ser vacinado” e encorajou as empresas locais a também oferecerem incentivos aos seus trabalhadores.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na cidade de Detroit, quem se disponibilizar para ajudar a transportar pessoas para os centros de vacinação recebe um cartão pré-pago com 50 dólares. Já em New Jersey, os residentes com mais de 21 anos vacinados em maio podem deslocar-se uma de 13 cervejeiras locais e beber uma cerveja sem pagar, um incentivo criado pelo próprio município.

Algumas empresas privadas têm também procurado incentivar os seus trabalhadores, promovendo a vacinação e muitas vezes os próprios produtos. Uma loja de canábis em Walled Lake, no Michigan, tem estado a oferecer erva desde de fevereiro, uma campanha que, garantem os responsáveis, que tem sido um sucesso. A Krispy Kreme, uma cadeia de donuts e café, está a oferecer um bolo todos os dias até ao final do ano àqueles que apresentarem uma prova em como foram vacinados.  A American Airlines está a oferecer um dia de folga aos trabalhadores vacinados e a Amazon 80 dólares.

Segundo o Financial Times, as ofertas incluem também bilhetes para espetáculos, como o Disney on Ice em Houston, para museus, como o Abraham Lincoln Presidential Library and Museum, em Illinois, ou descontos para eventos desportivos.