Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Polícia de Segurança Pública está a investigar uma imagem que surgiu nas redes sociais de uma mulher que usava uma camisola da PSP e calções muito curtos, enquanto viajava no Metro de Lisboa. O “uso de fardamento policial não é permitido” e pode ser crime, lembrou a PSP em comunicado colocado na rede social Instagram.

Assim que a PSP tomou contacto com a fotografia, “foram, de imediato, iniciadas diligências de identificação da cidadã, no sentido de confirmar se o polo pertence ou não ao nosso efetivo policial e averiguar onde obteve o fardamento e/ou se eventualmente se possa tratar de contrafação”.

Trata-se de um modelo de camisola que já não é utilizado pela PSP. “O uso de peças de fardamento policial, mesmo que antigo (como este), não é permitido, podendo constituir crime”, indicou a PSP no comunicado.

Ao Jornal de Notícias, fonte da PSP acrescentou que “dependendo do que for apurado”, pode estar em causa um processo criminal ou contraordenacional”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR