A preparar o arranque das entregas da edição de lançamento do R1S, completamente esgotada, a Rivian voltou à carga com as capacidades do seu SUV eléctrico, que herda praticamente tudo da pick-up R1T, da plataforma aos motores e packs de baterias. No Twitter, o fundador da marca e CEO da empresa, RJ Scaringe, publicou um vídeo onde é evidente a vantagem da recorrer a um motor por roda e onde se percebe também que, apesar das suas dimensões mais que generosas, o SUV eléctrico tem ângulos de ataque (34,3º), de saída (33,7º) e ventral (28,9º) que lhe permitem lidar sem problemas com qualquer tipo de obstáculo.

Neste caso, o desafio teve lugar no deserto de Moab, em Utah, nos Estados Unidos da América. Um local que não terá sido escolhido ao acaso, pois é também aí que a Jeep, reputada pelos seus pergaminhos no off-road, leva a cabo anualmente um encontro para pôr à prova os seus veículos, o Easter Jeep Safari (excepto nos últimos dois anos, por causa da pandemia). Sucede que, ao contrário dos SUV da Jeep, o R1S é 100% eléctrico, mas é um 4×4 para ser levado a sério, sobretudo no nível de equipamento Adventure, que o habilita a mais aventuras no todo-o-terreno.

R1S parece um Land Rover. Mas este SUV é eléctrico

No deserto, confrontado com uma subida irregular e com uma forte inclinação, daquelas que à primeira vista seria inultrapassável para um veículo com mais de 5 metros de comprimento (5,13 m), capaz de transportar até sete ocupantes (2+3+2 – comparativo das medidas com outros SUV aqui), o SUV da Rivian nem sequer precisou de ganhar balanço para trepar encosta acima. Fê-lo a uma velocidade constante e sem quaisquer hesitações, para o que terá contribuído o facto de a potência ser passada apenas às rodas em contacto com o solo. Uma vez no topo, a dúvida seria se era ou não possível passar pelo cume sem raspar por baixo – o que é delicado, pois é aí que se alojam as baterias, daí que a versão Adventure esteja equipada de série com uma placa de protecção para a parte inferior da carroçaria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O desafio foi superado com aparente facilidade, ficando apenas a dúvida de como é que o SUV ou a pick-up eléctricos da Rivian poderão recarregar a bateria quando os seus futuros proprietários decidirem aventurar-se neste ou noutro deserto. Aparentemente, isso não será um problema, pois a marca informa no seu site que está a construir “uma rede nacional de estações de carregamento rápido”, a Rivian Adventure Network.

5 fotos

O R1S anuncia mais de 483 km de alcance entre recargas (valores estimados em EPA e ainda sujeitos a homologação), com a bateria intermédia (135 kWh), a única a ser disponibilizada na fase de arranque, pois posteriormente surgirão outras duas opções, uma para baixar o preço de acesso à gama (105 kWh) e outra para ampliar a autonomia (180 kWh). Na fase de lançamento, com o acumulador de 135 kWh, o SUV da Rivian diz-se capaz de enfrentar passagens a vau com até 91 cm, rebocar 3,5 toneladas e ir de 0 a 96,6 km/h em 3 segundos, impulsionado pelos 764 cv dos seus quatro motores eléctricos. Tudo isto por valores que começam, nos Estados Unidos da América, em 70.000$ (cerca de 59.000€).

A versão com a bateria mais pequena será a menos potente, com 408 cv e fará mais de 400 km entre visitas ao posto de carga, enquanto o acumulador maior destina-se a estender o alcance para cima de 680 km, diminuindo a potência para 709 cv e o número de ocupantes para cinco. A Rivian anunciou já que pretende arrancar com as vendas da pick-up no mercado europeu já a partir do início de 2022.