Obrigado por ser nosso assinante. Pode ler este e todos os artigos do Observador em qualquer dispositivo.

Apesar das generosas dimensões da pick-up R1T da Rivian, bem como do seu “irmão” R1S, o SUV da família, o jovem construtor norte-americano está decidido a ter na Europa o segundo mercado para os seus veículos, depois do americano. E a decisão percebe-se, dado o crescente interesse por veículos eléctricos no Velho Continente, os preços mais elevados praticados do lado de cá do Atlântico, bem como os incentivos às vendas.

A R1T é uma pick-up muito bem pensada, apesar de ter sido concebida por uma startup jovem e sem experiência na produção de veículos, um histórico em tudo similar ao início da Tesla. Os números que mais dão nas vistas são os relativos à capacidade da bateria, cuja capacidade oscila entre 105 e 180 kWh, ou a potência dos motores, que vão dos 408 aos 764 cv.

6 fotos

Mas a Rivian vai mais longe e concebeu ainda um sofisticado sistema de quatro rodas direccionais que lhe permite fazer a inversão de marcha num espaço mínimo, ou deslocar-se obliquamente, tipo caranguejo, se isso facilitar as manobras fora de estrada. Mas não são estes os trunfos do modelo, que tudo indica que será a primeira pick-up eléctrica a chegar ao mercado, com as vantagens que daí resultam.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR