334kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

O vinho e Portugal, 2000 anos de história conjunta

A descoberta da cultura do vinho na região do Alto Douro Vinhateiro inclui obrigatoriamente uma viagem até às origens de Portugal.

i

Mafalda Pombo Lopes

Mafalda Pombo Lopes

Entre os vários produtos de elevada qualidade produzidos em Portugal, há um que se destaca em particular, sendo a sua fama conhecida por todo o mundo: o vinho. Ao longo dos séculos, Portugal tornou-se no produtor de alguns dos melhores vinhos do mundo, sendo o Vinho do Porto, produzido nas encostas do Rio Douro, um dos seus melhores exemplos.

Hoje, a região do Alto Douro Vinhateiro, uma das áreas naturais mais encantadoras de Portugal, transformada pela mão humana ao longo de séculos, é local de eleição para milhares de turistas, nacionais e internacionais, que aqui acorrem para momentos repletos de tranquilidade, preenchidos por várias atividades ligadas ao enoturismo.

Uma história com mais de 2000 anos

Falar da história do vinho em Portugal implica falar da própria fundação da nação e dos vários povos que por aqui passaram ao longo de vários séculos.

Introduzida há mais de 2000 anos pelos Tartessos e Fenícios, foram os Gregos que, através de uma dedicação especial ao vinho, desenvolveram a viticultura na Península Ibérica. A passagem dos Romanos pelo território viria acompanhada pela introdução de novas variedades assim como o aperfeiçoamento e modernização da cultura da vinha, o que levaria a que o vinho se tornasse no principal produto exportado a partir da Península Ibérica no período compreendido entre os séculos XII e XIII.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A fama do vinho aqui produzido acabaria por se estender até ao norte da Europa, com a produção a ganhar um maior fôlego a partir da segunda metade do século XVI, como consequência do aumento das exportações. Dois séculos depois, sob a influência do Marquês de Pombal, a região do Alto Douro, em Portugal, viria a ser alvo de várias medidas protecionistas que contribuiriam para o aumento da produção e exportação de um dos vinhos mais famosos do mundo, o Vinho do Porto.

Em 1756 era criada a Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro que levaria não só um maior controlo sobre a produção, qualidade e comércio do Vinho do Porto, como também à primeira demarcação oficial de uma região vitivinícola no mundo.

Em 1756, a Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro levou à primeira demarcação oficial de uma região vitivinícola no mundo. | Fotografia: Mafalda Pombo Lopes

À descoberta das encostas do Alto Douro Vinhateiro

É nos socalcos das encostas de solo agreste da região do Alto Douro banhadas pelo Rio Douro e os seus afluentes, que crescem as vinhas que dão origem a alguns dos mais famosos vinhos portugueses, onde se incluem os vinhos brancos, os espumantes, o Moscatel e obviamente, e com destaque, o icónico Vinho do Porto.

Visitar a região significa perder o fôlego com as inúmeras paisagens magníficas que o vale do Douro oferece — distinguidas oficialmente em 2001 pela UNESCO através da classificação de Património da Humanidade —, descobrir algumas das tradições mais fascinantes do país e deixar-se contagiar pela tranquilidade que ali impera. Ao todo, são cerca de 40 mil hectares de área vitícola, inseridos numa extensão total de cerca de 250 mil hectares, que contrastam com o azul intenso das águas fluviais locais.

As paisagens do vale do Douro foram distinguidas oficialmente em 2001 pela UNESCO, com a classificação de Património da Humanidade. | Fotografia: Mafalda Pombo Lopes

Mafalda Pombo Lopes

A introdução do enoturismo na região

Muitas são as quintas ligadas ao vinho espalhadas pela zona que, todos os anos, recebem inúmeros visitantes ali atraídos pela promessa de vistas sem igual e uma viagem de descoberta ao fascinante mundo da viticultura portuguesa.

Hoje em dia, a “simples” e habitual prova de vinhos não satisfaz totalmente os turistas amantes de vinho. Existe um desejo de conhecer os “bastidores” da produção vitivinícola nacional, explorando a origem das uvas, os seus métodos de produção de vinho e todas as tradições associadas.

Várias quintas do Douro passaram a oferecer um ainda maior leque de atividades ligadas ao enoturismo, como passeios entre as vinhas, assistir a rituais seculares de produção do vinho e a oportunidade de degustar os melhores néctares ali produzidos. | Fotografia: Mafalda Pombo Lopes

De forma a satisfazer os desejos dos seus visitantes, várias foram as quintas locais que passaram a oferecer um ainda maior leque de atividades ligadas ao enoturismo, como passeios entre as vinhas, assistir a rituais seculares de produção do vinho e, finalmente, ter a oportunidade de degustar os melhores néctares ali produzidos através de provas de vinho acompanhadas por algumas das melhores iguarias regionais.

Como explorar a região

É nas cidades do Porto e Vila Nova de Gaia, de onde são exportados os vinhos produzidos na região do Alto Douro Vinhateiro, que muitos iniciam esta viagem de descoberta. Para uma maior liberdade, sugerimos que opte por deslocar-se de carro, percorrendo algumas das estradas mais bonitas do mundo, como a N222.

E se está na altura de trocar o seu veículo por outro, não conseguimos imaginar melhor oportunidade do que esta para o fazer. O O motor de busca de compra e venda de carros usados PiscaPisca.pt ajudá-lo-á a encontrar o seu novo companheiro de 4 rodas que poderá “estrear” numa viagem inesquecível entre encostas vinhateiras e as margens do imponente Rio Douro.

Se faz parte da cada vez maior “comunidade” de aficionados de vinho, não haverá melhor experiência do que esta. Garantimos.

Saiba mais em
No PiscaPisca Não Arrisca

A página está a demorar muito tempo.