Israel ainda não acabou de dar a terceira dose de reforço à população, mas já se está a preparar para uma eventual quarta dose, noticiou a Bloombeg.

A Organização Mundial de Saúde pediu para que os países esperassem, pelo menos, até ao final do ano para darem a terceira dose de reforço e assim garantirem que países mais pobres também tinham oportunidade de vacinar a sua população.

A dose de reforço é “desnecessária”, considera professora de Vacinologia na Universidade de Oxford

Israel, no entanto, administrou 2,8 milhões de terceiras doses entre os sete milhões de pessoas elegíveis para o fazer e já está a fazer reserva para uma quarta dose, segundo informou o diretor-geral do Ministério da Saúde, Nachman Ash.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Não sabemos quando vai acontecer”, disse Ash. “Espero bem que não seja nos próximos seis meses, como desta vez, e que a terceira dose dure mais tempo”.

Novos casos (média a sete dias), em Israel, mostrando o pico da quarta vaga no início de setembro — Our World in Data

O número de novos casos em Israel começou a aumentar no final de junho e ultrapassou os 20 mil no dia 8 de setembro. O valor do pico da média semanal (mais de 10 mil casos) foi maior do que os picos das outras vagas no país. Já o pico no número de mortes diárias é muito menor do que na segunda e terceira vagas.