Os buchos que representam os brasões os das capitais de distrito e das ex-colónias vão mesmo ser retirados da Praça do Império, em Lisboa, mas serão reconstituídos em pedra da calçada, noticiou o Nascer do Sol. Havia um projeto para os brasões serem desenhados em placas, mas a ideia foi rejeitada pelo Movimento Nova Portugalidade, que criticou o desaparecimento dos brasões florais.

O desaparecimento dos buchos já estava previsto no âmbito de um projeto de restauração instituído naquela praça em Belém, mas a ideia foi criticada Ramalho Eanes e Cavaco Silva (que não se associaram ao movimento), Santana Lopes, António Barreto e Bagão Félix, por exemplo, alguns dos quais assinaram petições contra a remoção dos brasões florais.

O vereador do Ambiente, Clima e Energia, Estrutura Verde e Serviços Urbano terá então chegado a um meio termo: em vez de eliminar de todo os brasões ou de transformá-los em placas — uma sugestão que partiu da Câmara Municipal de Lisboa —, Sá Fernandes decidiu representá-los na calçada da Praça do Império, diz o Nascer do Sol. O espaço que os buchos ocupavam será transformado num jardim relvado.

A Rádio Observador contactou o vereador acerca deste assunto, mas Sá Fernandes não quis prestar declarações, afirmando que nada sabe sobre ele.

As notícias das 8h