O independente Vitor Marques, que conquistou a Câmara das Caldas da Rainha, afirmou domingo que a vitória prova que era altura de mudar e iniciar um novo ciclo no concelho governado pelo PSD desde 1976.

“Estamos muito satisfeitos com a confiança que o eleitorado depositou no movimento ‘Vamos Mudar’, e que prova que era altura de o concelho mudar realmente e iniciar um novo ciclo de governação com todos”, disse Vitor Marques.

O movimento encabeçado pelo até agora presidente da União de freguesias de Nossa Senhora do Pópulo, Coto e S. Gregório (eleito como independente nas listas do PSD), deu os primeiros passos há sete meses, “juntando um grupo de pessoas, com diversas competências, que construíram um projeto e fizeram um grande esforço para o divulgar a toda a população”, lembrou Vitor Marques, sem esconder a emoção de “ter visto hoje [domingo] esse esforço reconhecido”.

“Queremos governar com todas as pessoas que nos queiram apresentar projetos e não defraudar as suas expectativas”, disse, no final da eleição, que venceu com 40,70% dos votos, elegendo três mandatos no executivo que, desde 1976, era governado pelo PSD, com exceção para o mandato de 1982 a 1985 em que foi eleito um presidente do CDS.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O empresário, de 55 anos, disse ainda que liderará a Câmara com “um projeto de proximidade”, assente nos princípios de gestão que apontam para que “um euro gasto nas freguesias é mais produtivo do que valores mais elevados gastos noutros patamares do município”.

Vitor Marques tinha como principal opositor o atual presidente da Câmara, Fernando Tinta Ferreira (PSD), que conquistou 34,71% dos votos, elegendo também três vereadores no executivo que contará ainda com um eleito do PS, força que no anterior mandato contava com dois vereadores.