Um projeto para investigar as dinâmicas que levaram à transição de homens de Neandertal para a espécie atual, na Europa, vai receber uma bolsa de quase dois milhões de euros, atribuída a Vera Aldeias, investigadora da Universidade do Algarve.

A bolsa, do Conselho Europeu de Investigação (ERC, na sigla original), é a primeira atribuída à Universidade do Algarve e também a primeira vez que uma bolsa ERC em arqueologia é atribuída a Portugal, diz a instituição de ensino em comunicado.

Vera Aldeias é investigadora do Centro Interdisciplinar de Arqueologia e Evolução do Comportamento Humano (ICArEHB) da Universidade do Algarve. Além dela, de acordo com a lista de bolsas atribuídas esta segunda-feira divulgada, há mais quatro portugueses que recebem valores idênticos.

O projeto da investigadora, “MATRIX – Into the Sedimentary Matrix: Mapping the Replacement of Neanderthals by early Modern Humans using micro-contextualized biomolecules”, pretende analisar as dinâmicas de transição para o “Homo Sapiens” e baseia-se numa nova abordagem, o uso de biomoléculas (ADN, proteínas e lípidos) preservadas nos sedimentos (na terra) dos sítios arqueológicos.

“Esta oportunidade irá possibilitar desenvolvermos ciência de ponta e ao mais alto nível a partir da Universidade do Algarve”, diz Vera Aldeias citada no comunicado.

O projeto MATRIX “foca-se no período de transição de Neandertais para os Sapiens — um momento fulcral na nossa evolução e que pode ajudar-nos a explicar porque é que a nossa espécie é esta segunda-feira a única a habitar o planeta”, explica a investigadora, segundo a qual a equipa que lidera vai analisar um conjunto alargado de sítios arqueológicos, de Portugal à Geórgia, no leste da Europa.

“A grande inovação proposta nesta bolsa é conseguirmos extrair não só ADN, mas também proteínas e lípidos a partir de pequenas amostras para as quais conhecemos exatamente como foram depositadas e, portanto, podemos confiar na sua veracidade”, e assim perceber as dinâmicas por trás da transição, explica.

O ERC recebeu mais de quatro mil propostas e depois de analisadas o júri escolheu 397. A bolsa “ERC Starting Grant” é atribuída por cinco anos a investigadores promissores que iniciam a sua própria equipa ou programa de investigação independente e as propostas selecionadas abrangem todas as áreas de investigação.

O ERC foi criado pela Comissão Europeia em 2007.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR