A IKEA no Reino Unido passou a pagar apenas o valor mínimo obrigatório por baixa médica pessoas que não tenham recebido pelo menos uma dose da vacina e precisem de ficar em isolamento profilático por Covid-19.

Os trabalhadores da empresa no país recebem um salário médio que varia entre 400 e 450 libras — cerca de 480 a 540 euros — por semana. Na empresa, desde setembro, quem não estiver vacinado, contudo, recebe apenas 96 libras semanalmente, cerca de 115 euros.

Há, no entanto, exceções a esta nova política. Quem estiver comprovadamente infetado com Covid-19, e não apenas em isolamento enquanto contacto de risco, receberá um valor superior ao valor mínimo por baixa médica mesmo que não tenha levado a vacina, não sendo especificado, segundo a Sky News, a quanto corresponde este valor.

Quem apresentar uma justificação médica válida para não ter tomado a vacina contra o coronavírus, exemplo das trabalhadoras que se encontrem grávidas, poderá usufruir do salário habitual durante o isolamento. O valor mais baixo é apenas aplicado a quem não se vacinar sem apresentar uma justificação válida para tal.

“A empresa sabe que este é um tópico altamente sensível e compreende que existem várias circunstâncias específicas”, explicou um porta-voz da IKEA. “Como tal, caso será analisado de um modo distinto.”

No Reino Unido, a IKEA representa aproximadamente 10 mil postos de trabalho. No país, quem apresente pelo menos duas doses da vacina não precisa de ficar em isolamento caso tenha estado em contacto com um indivíduo infetado.

Ao Observador, a IKEA Portugal esclareceu que “a situação na IKEA Reino Unido não se aplica a Portugal”.A empresa adiantou ainda que paga a 100% o salário de quem está em isolamento profilático, sendo que os “infetados recebem a baixa regular”.

“Apesar da IKEA Portugal defender a vacinação como medida para que, em conjunto, se proteja a saúde de todos, não tem qualquer medida restritiva em relação aos colegas que optaram por não se vacinar, seguindo assim, a lei do nosso país”, explicou fonte da empresa em Portugal.

Também a empresa Águas de Wessex — do inglês “Wessex Water’s” — alterou esta semana a sua política salarial, à semelhança da IKEA. O único caso diferente na empresa, especificado pela mesma, é que quem, tendo já agendado a vacinação, necessitar de ficar em isolamento por contacto com um infetado, poderá usufruir na mesma do salário habitual durante a baixa médica.

A empresa britânica é responsável pela manutenção dos serviços de água e saneamento de 2.8 milhões de pessoas no sudoeste do país, e emprega mais de 2.500 trabalhadores.

(Notícia atualizada às 00h35 de 13 de janeiro)

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR