Dark Mode 169kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia
i

A entrada de A-dos-Francos, terra de João Almeida

FILIPE AMORIM/OBSERVADOR

A entrada de A-dos-Francos, terra de João Almeida

FILIPE AMORIM/OBSERVADOR

A-dos-Francos era uma "vila pacata" até um "miúdo jeitoso" a transformar em "local de romarias". 13 dias de rosa na terra de João Almeida /premium

Vila de A-dos-Francos, Caldas da Rainha, está vestida de cor de rosa. Tarjas, fitas e bicicletas pintadas no chão são "um estímulo" para o João enfrentar as etapas que faltam. Líder ou não, terá festa

    Índice

    Índice

Às primeiras horas do dia, ainda sem que o sol tivesse nascido, a placa de sinalização que dá conta da chegada à freguesia de A-dos-Francos, no concelho de Caldas da Rainha, é apenas um elemento que nos ajuda a perceber que chegámos ao nosso destino. Logo a seguir surgem as primeiras árvores enfeitadas com tiras de tecido cor de rosa que rodeiam parte do tronco e formam uma espécie de corredor de honra até chegar à rotunda principal da vila. Suspensa destaca-se uma bicicleta iluminada que tem como pano de fundo uma tarja — com a mesma cor das fitas que enfeitam as árvores — e de onde sobressai a fotografia do novo herói nacional: “João Almeida, A-dos-Francos está contigo”, lê-se.

Foi aqui que o líder da classificação geral do Giro de Itália, a prova que destaca a liderança com o tal rosa na camisola em vez do habitual amarelo, passou a infância e começou a dar as primeiras pedaladas. Nos cafés da vila a rotina vai-se mantendo dentro da normalidade, mas quando há prova todos param em frente à televisão para ver o filho da terra competir: “Tem sido uma alegria e uma excitação enorme para todos nós. Acho que estamos todos a receber este feito com muito orgulho e nem podia ser de outra forma”, diz Mónica Pereira, uma das habitantes de A-dos-Francos que conviveu com o ciclista português e que agora se habituou a vê-lo destacar-se nos jornais e na televisão.

Freguesia pinta-se de rosa, a côr da camisola do líder do Giro

O epicentro da euforia local tem-se concentrado na Sociedade de Instrução Musical, Cultura e Recreio de A-dos-Francos, um sítio que João Almeida conhece bem, uma vez que fez parte do rancho local. Tal como também fez parte do clube de futebol da terra, onde foi treinado pelo homem que hoje é o presidente da junta de freguesia e grande impulsionador da onda rosa que a vila vive: “Avançámos com esta iniciativa de colorir a vila com a cor que o João tem vestido ao longo dos últimos 13 dias porque acreditamos que isso pode ser um estímulo para ele enfrentar as etapas que faltam”.

"Esta era uma vila pacata, mas tudo isto tem feito muitas pessoas virem de fora para passarem por A-dos-Francos e verem ao vivo a decoração que nós fizemos. Vêm cá para tirar fotografias à rotunda que acaba por se tornar num símbolo associado ao João"
Paulo Sousa, presidente da junta de freguesia de A-dos-Francos, que treinou João Almeida como... futebolista

Mas nem só de lonas e bicicletas iluminadas vive a freguesia. Ao longo da estrada foram ainda pintadas bicicletas cor de rosa que “circulam em direção à casa da família de João Almeida”, explica Paulo Sousa que se mostra satisfeito pelo envolvimento da terra em todo o processo. Os habitantes aderiram à iniciativa e são várias as casas que têm fitas penduradas nas portas e nas janelas, “formando uma corrente de apoio que sabemos que tem chegado a Itália”.

Casas com faixas cor de rosa e os parabéns na escola local

FILIPE AMORIM/OBSERVADOR

A decoração da vila tem ainda ajudado a atrair pessoas à terra: “Esta era uma vila pacata, mas tudo isto tem feito muitas pessoas virem de fora para passarem por A-dos-Francos e verem ao vivo a decoração que nós fizemos. Vêm cá para tirar fotografias à rotunda que acaba por se tornar num símbolo associado ao João”, explica o autarca.

A chegada de gente de fora é uma “autêntica romaria de ciclistas”, explica outro dos fãs de João Almeida. “A-dos-Francos não voltou a ser a mesma, isto é uma coisa inédita que é muito boa tanto para a nossa terra como para o país. Agora só temos que torcer por ele até ao fim”.

As preocupações com a festa de receção a João Almeida

No domingo, dia 25 de outubro, João Almeida vai terminar a participação no Giro de Itália em Milão e vai regressar a Portugal. Em A-dos-Francos todos esperam que a vila seja um dos primeiros pontos de paragem do ciclista e no horizonte já está uma festa de receção. O resultado final, seja ele qual for, não deve influenciar a vontade de festejar dos fãs, uma vez que se acredita que “o João até pode não ganhar, e até podia já ter perdido a camisola rosa, mas ele já é um campeão. Pela luta que tem travado, ele merece tudo de bom e nós cá estaremos para fazer uma grande festa quando ele chegar”, garante a fã nº1 que, apesar do entusiasmo com que fala, mantém a preocupação com a actual pandemia de Covid-19. Por isso garante que nos festejos, “o distanciamento social vai ser cumprido”.

Máscaras personalizadas pelo líder do Giro, e uma vila com bicicletas no chão, riscas nas árvores e uma rotunda personalizada

FILIPE AMORIM/OBSERVADOR

As normas de segurança sanitária são uma das “maiores preocupações” do presidente da junta, uma vez que “durante as transmissões televisivas tem havido muitas pessoas a assistir às provas na Sociedade de Instrução Musical. Talvez por isso o autarca tenha incluído no merchandising que distribuiu à população nos últimos dias uma máscara cor de rosa, também ela com palavras de apoio ao atleta: “#vaijoão”. Apesar disso, garante que quando se marcar a festa, “vão ter que ser agilizados todos os pormenores com as autoridades competentes para garantirmos que todas as pessoas estão em segurança”.

"Costumo dizer à mãe dele que eu é que sou a fã numero um dele e ela diz que não, que é ela que ocupa esse lugar. Já combinamos que ela é a fã número um de dentro da família e eu a fã número um de fora da família".
Rosa Silva, a fã nº 1 do ciclista

João Almeida: “Pacífico mas aguerrido”

Rosa Silva é uma das pessoas mais próximas de João Almeida que por estes dias não tem perdido uma única etapa do Giro, a que assiste na Sociedade de Instrução Musial: “Conheço o João desde bebé, quando veio para cá viver com mãe”. São vizinhos e a proximidade leva-a a entrar em disputa com a própria mãe do ciclista pelo lugar de fã nº1: “Tenho uma pequena guerra com a mãe do João porque nós somos as duas fãs número um dele. Costumo dizer à mãe dele que eu é que sou a fã numero um dele e ela diz que não, que é ela que ocupa esse lugar”, explica com um sorriso rasgado para logo depois dizer que ambas já chegaram a um consenso: “Já combinámos que ela é a fã número um de dentro da família e eu a fã número um de fora da família”.

Rosa Silva, a vizinha e fã nº1 (depois da mãe)

FILIPE AMORIM/OBSERVADOR

O carinho que sente pelo o atleta de 22 anos a quem chama “menino de ouro” não se revela apenas pelo olhar. Rosa Silva também não poupa nos elogios: “Ele é calmo, descontraído e principalmente muito humilde, não é como algumas pessoas a quem a fama sobe à cabeça”.

Pode ouvir aqui a entrevista à fã nº1 de João Almeida:

A fã nº1 de João Almeida

Os adjetivos que descrevem o atleta vão-se repetindo e também Célio Apolinário, antigo treinador, lembra-o como “um miúdo tranquilo e que estava sempre na dele, mesmo que as provas corressem mal não tinha uma má palavra para os colegas ou para mim”.

Provas têm deixado fãs com os nervos à flor da pele, mas desempenho de João Almeida não é surpreendente

“O João sempre foi muito decidido naquilo que queria”, começa por explicar o treinador que o escolheu para a equipa que liderava quando tinha “uns 14 anos”. “O João não se destacava por discutir os primeiros lugares das provas, mas porque lutava do princípio ao fim sem desistir, com muita raça. Percebi logo que era um miúdo jeitoso e convidei-o para vir para a minha equipa”.

"O João não se destacava por discutir os primeiros lugares das provas, mas porque lutava do princípio ao fim sem desistir, com muita raça. Percebi logo que era um miúdo jeitoso e convidei-o para vir para a minha equipa".
Célio Apolinário, primeiro treinador de João Almeida

É por todos estes atributos que Célio Apolinário não se surpreende com estas conquistas: “Nós conhecemos o valor do João e sabemos o quanto ele é esforçado”, ainda assim admite que estes feitos pudessem ser alcançados apenas quando a sua carreira fosse mais adiantada. Apesar de tudo, neste momento não duvida: “O João vai ganhar o Giro, admito que possa não acontecer se ele tiver um dia mau, mas olhem quando ele mete uma coisa na cabeça, vai até ao fim”.

A fã nº1 de João Almeida também está alinhada com o treinador do jovem atleta: “Este momento para mim não é uma surpresa porque acompanhei todo o percurso dele, conheço a história profissional desde que ganhou a primeira taça”.

O Giro de Itália entra agora na última fase com João Almeida sem largar a camisola rosa, mas com apenas 15 segundo de vantagem para o segundo classificado. Daqui para a frente não há mais dias de descanso, nem para os atletas nem para os habitantes de A-dos-Francos, que vão voltar a sentar-se em frente à televisão à espera que o menino da terra traga a camisola rosa para casa.

Pode ouvir aqui a reportagem da Rádio Observador em À-dos-Francos:

João Almeida leva A-dos-Francos a viver sonho cor de rosa

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.