Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Era uma “previsão insólita”, mas está a confirmar-se. No final do ano passado, como acontece regularmente, o dinamarquês Saxo Bank anunciava as 10 previsões insólitas para 2019, escritas pelo seu economista-chefe, Steen Jakobsen. O relatório não contém verdadeiras “apostas” sobre os chamados “cenários-base” previstos para os mercados financeiros mas, sim, riscos que, podendo ser improváveis, devem levar os investidores a refletir, à entrada em cada ano novo. Para 2019, uma das previsões era especialmente arrepiante: a Alemanha vai entrar em recessão, possivelmente no terceiro trimestre.

Em cheio: cerca de nove meses depois, foi confirmado oficialmente que a economia alemã teve um crescimento negativo (no segundo trimestre) e dados divulgados nesta segunda-feira sobre o grau de otimismo (ou, neste caso, pessimismo) dos empresários alemães deixa pouca margem para dúvidas: a maior economia da zona euro deverá voltar a ter um crescimento negativo neste terceiro trimestre. E dois trimestres consecutivos de crescimento negativo corresponde, precisamente, à definição mais utilizada para designar aquilo que é uma “recessão técnica“.

“Uma recessão está a aproximar-se” na Alemanha. Confiança dos empresários alemães derrapa

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.