Olá

833kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

O internacional português foi titular na vitória da Seleção contra a Turquia, em Dortmund
i

O internacional português foi titular na vitória da Seleção contra a Turquia, em Dortmund

NurPhoto via Getty Images

O internacional português foi titular na vitória da Seleção contra a Turquia, em Dortmund

NurPhoto via Getty Images

Aprendeu a correr menos para correr melhor: Pepe e uma masterclass de quem tem sempre de contar

Voltou a ser titular, foi dos melhores da Seleção com a Turquia e assinou um corte brutal perante Kökçü. Aos 41 anos, Pepe deixou lição de como defender no Europeu e a ser um exemplo de longevidade.

41 anos, jogador mais velho de sempre a disputar um Campeonato da Europa, titular nas duas primeiras jornadas da fase de grupos do Euro 2024 e um dos melhores da Seleção Nacional contra a República Checa e a Turquia. Este sábado, em Dortmund, Pepe assinou uma verdadeira masterclass de como defender e deixou claro que, para Roberto Martínez ou para qualquer outro, terá sempre de contar.

A teoria da evolução começou em Pepe, foi até Ronaldo e não se faz velha (a crónica do Turquia-Portugal)

Com o futuro ainda em aberto, já que já sabe que não irá ficar no FC Porto, o central português foi substituído na segunda parte com 97% de eficácia de passe, sete alívios, duas ações defensivas no meio-campo adversário e dois desarmes. Mais: foi substituído sob ovações dos adeptos portugueses presentes no Signal Iduna Park, que levaram para a casa a memória de um corte exímio de Pepe sobre Kökçü ainda antes do intervalo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Com a ajuda da genética e da proteína extra que vai buscar à carne seca e aos suplementos, Pepe tem conseguido manter-se ao mais alto nível ao longo das últimas temporadas. Aprendeu a correr menos para correr melhor e chega à bola antes dos adversários e com menos passos — algo que a experiência lhe traz, mas que a longevidade garante.

O central tem feito dupla com Rúben Dias no eixo defensivo da Seleção Nacional

DeFodi Images via Getty Images

Afinal, não foi para fazer balneário. Foi para encher o campo

Bernardo Silva estreou-se a marcar em fases finais pela Seleção Nacional. Bruno Fernandes fez mais um golo por Portugal. Cristiano Ronaldo quebrou o recorde de assistências em Campeonatos de Europa. Mas este sábado, em Dortmund, os adeptos que estavam na bancada do Signal Iduna Park a apoiar a equipa de Roberto Martínez só tiveram voz para ovacionar, aplaudir e exaltar um jogador: Pepe.

40 anos, 40 histórias: Pepe, o central com nome de astrónomo que entre excessos fez do futebol uma ciência

O central voltou a ser titular, tal como já tinha sido contra a República Checa, e cumpriu uma exibição de excelência que nunca permitiu que a defesa portuguesa fosse apanhada de surpresa. Acabou por ser substituído por António Silva já na segunda parte, numa fase em que o resultado estava quase garantido e existia margem de manobra para poupar esforços e gerir energias, e aproveitou a zona de entrevistas rápidas para garantir que ouviu os adeptos.

“A equipa trabalhou bem, fizemos o que o mister nos pediu. Sabíamos que ia ser um jogo muito difícil, com um ambiente fantástico dentro do estádio, mas hoje lutámos pelos nossos familiares e pelos nossos adeptos. A Turquia é uma equipa emotiva, vai no sentido da paixão, de partir o jogo. Nós somos uma equipa madura, com processos simples e que, ao mesmo tempo, é difícil. Foi um ambiente fantástico, com muitos turcos, mas não posso deixar de realçar o apoio dos nossos adeptos. Estiveram em menor quantidade, mas fizeram-se notar. Queria agradecer-lhes”, disse Pepe, acrescentando estar “sem palavras” para as ovações que foi recebendo da bancada.

Este sábado, em Dortmund, os adeptos que estavam na bancada do Signal Iduna Park a apoiar a equipa de Roberto Martínez só tiveram voz para ovacionar, aplaudir e exaltar um jogador: Pepe.

Aos 41 anos, depois de já se ter tornado o jogador mais velho de sempre a disputar um Campeonato da Europa na partida contra a República Checa, o central continua a justificar o porquê de ter sido convocado por Roberto Martínez. Depois de uma temporada complexa, com exibições capitais como contra o Arsenal na Liga dos Campeões, mas também com muito tempo de fora por lesão, o nome de Pepe chegou a ser colocado em causa — que dias depois da convocatória falhou a final da Taça de Portugal por problemas físicos.

Pepe não sabe como vai ser. Agora, sabe bem como é: central (agora sem clube) é o mais velho de sempre a jogar os Europeus

Não necessariamente pela qualidade do jogador, que é inequívoca, mas pela tal dimensão física. Com Rúben Dias, António Silva, Gonçalo Inácio e Danilo na convocatória, acrescentando-se ainda nomes como Toti Gomes ou Diogo Leite, que estiveram em convocatórias recentes, a ida de Pepe ao Euro 2024 não era um dado adquirido. Falou-se sobre a possibilidade de o central ser dado como inapto ainda durante a preparação, falou-se sobre a possibilidade de o central não ser titular, falou-se sobre a possibilidade de o central ir para fazer balneário e não para estar em campo. E Pepe desmentiu cada um dos cenários.

Em Dortmund e tal como já vem sendo habitual — o que dizer da exibição em Munique, na fase de grupos do Euro 2020 contra a Alemanha, onde foi o único elemento esclarecido da equipa de Fernando Santos –, o internacional português foi absolutamente imperial. Entre recuperações de bola e uma noção de segurança no meio que permite a Rúben Dias explorar outros espaços, Pepe voltou a demonstrar que tem a inteligência de encurtar espaços para chegar à bola antes dos adversários: pode já não correr tanto como eles, mas corre melhor do que eles.

Roberto Martínez tem justificado recorrentemente a convocatória de Pepe e também de Cristiano Ronaldo

dpa/picture alliance via Getty I

E se a exibição precisasse de uma imagem, Pepe também a dava. Durante a primeira parte, numa das poucas ocasiões em que a Turquia conseguiu desequilibrar pelo corredor central, o central lançou-se num carrinho a fazer lembrar outros tempos que impediu que Kökçü ficasse isolado na cara de Diogo Costa. Afinal, e como Roberto Martínez explicou no dia em que confirmou que iria convocar o central, Pepe está lá para isso. 

“É importante a presença do Pepe pela exigência e pela forma de representar a Seleção. Em estágio, o futebol é uma luta constante e foi interessante ver o Pepe fazer dois jogos em março e manter a baliza a zero nos 90 minutos em que jogou. Posicionalmente, se estiver apto, o Pepe é muito importante”, disse o selecionador nacional há praticamente um mês. E confirma-se.

Os segredos da longevidade, entre a genética e a paixão por rapadura

Roberto Martínez é um comum mortal, logo, tal como todos os outros, também continua a ficar impressionado com os níveis competitivos de Pepe. “Se eu fosse um adepto neutro a ver o jogo e a ver o Pepe jogar, não acreditava que tem 41 anos. A forma como joga, como treina, como compete. É um grande profissional e um grande exemplo para o futebol português e para o futebol no geral. É um profissional, 24 horas por dia. Tem um grande amor pelo jogo, adora jogar e gosta de viver para o futebol. E também tem uma genética que não se pode comprar em lado nenhum”, disse o selecionador nacional depois da vitória deste sábado contra a Turquia.

E se a exibição precisasse de uma imagem, Pepe também a dava. Durante a primeira parte, numa das poucas ocasiões em que a Turquia conseguiu desequilibrar pelo corredor central, o central lançou-se num carrinho a fazer lembrar outros tempos que impediu que Kökçü ficasse isolado na cara de Diogo Costa.

E pode não estar enganado. Em entrevista ao Observador no final de 2022, durante o Mundial do Qatar, o antigo responsável pelo departamento clínico do FC Porto entre 1876 e 1999 explicou que a genética de Pepe é “preponderante” para a longevidade do jogador. Na altura, Domingos Gomes defendeu que existem dois genes que podem ter um papel especialmente importante na resiliência física do central: um que corta uma proteína e a transforma em outra, permitindo a regulação da pressão arterial e o equilíbrio entre os fluidos e os sais presentes no corpo humano, e outro que transporta informações para a produção elevada de uma proteína encontrada nas fibras musculares de contração rápida.

Indiscutível aos 40. Pepe, “uma exceção” à base de carnes secas, descanso e doce de rapadura

Depois, naturalmente, existe o lado que Pepe controla. Um dos segredos do central é evitar a perda de qualidade da massa magra e promover a regeneração muscular, algo que alcança através do consumo de mais proteína, como carne seca — além de hidratos de carbono, para que o corpo recupere a energia investida durante a prática desportiva –, e introduzindo suplementos alimentares na dieta. Tudo é feito ao milímetro e de forma personalizada, com GPS para estudar os movimentos do jogador e escalas de esforço de acordo com a perceção do próprio atleta.

Apesar de ser necessária uma maior atenção por parte das equipas médicas, a idade continua a ser um posto para jogadores na faixa etária de Pepe. “Muda o reconhecimento da importância de ser regrado na alimentação. As adaptações não devem ser fontes de pressão e não devem ser demasiado punitivas, sob pena de darem azo a perturbações alimentares que não só prejudicam o desempenho desportivo como desrespeitam o bem-estar mental do jogador”, explicou, também no final de 2022, João Beckert, fisiatra na Unidade de Medicina Desportiva e Performance da CUF.

Depois de uma temporada complexa, com muitas lesões, Pepe já sabe que não vai continuar no FC Porto

Getty Images

Adicionalmente, o central já admitiu que a gula até pode ser um dos seus maiores segredos. Em entrevista à TNT Sports, o jogador português confessou que gosta de rapadura, um doce feito com a calda da cana de açúcar, que come mel do sul do Brasil e que prefere a culinária do nordeste brasileiro. “Com um mel daqueles estás imune a muitas coisas. É um dos segredos da longevidade. Costumo comer um cuscuz com carne seca. Há coisas da gastronomia brasileira de que gosto muito, às vezes a minha mãe traz escondido na mala quando vem visitar-me”, contou, sublinhando que outra das ferramentas é saber parar e aproveitar as férias e as folgas para descansar.

Um Europeu no meio de um futuro em aberto

O Euro 2024 está a decorrer numa altura em que Pepe tem ainda o futuro por definir. Aos 41 anos e acabado de cumprir a sexta temporada consecutiva no FC Porto, o capitão dos dragões já sabe que não vai ficar no clube e é o terceiro vértice de um triângulo de liderança a cair em poucos meses — depois de Jorge Nuno Pinto da Costa e Sérgio Conceição.

André Villas-Boas terá transmitido a Pepe que não contava com ele enquanto jogador, oferecendo-lhe uma posição na estrutura do FC Porto, mas o central quer continuar a jogar e não pretende terminar a carreira desde já. Nos últimos dias, a imprensa brasileira tem associado o internacional português ao Botafogo, que é atualmente treinado pelo ex-Sp. Braga Artur Jorge.

Aos 41 anos e acabado de cumprir a sexta temporada consecutiva no FC Porto, o capitão dos dragões já sabe que não vai ficar no clube e é o terceiro vértice de um triângulo de liderança a cair em poucos meses — depois de Jorge Nuno Pinto da Costa e Sérgio Conceição.

“Procuro viver o dia a dia, o amanhã não me preocupa muito. Tenho muito com que me preocupar ao dia de hoje, por isso, o mais importante para mim é dar o meu contributo à Seleção e sair daqui com a vitória e com a qualificação”, disse Pepe depois do jogo deste sábado, dias depois de ter ouvido o presidente do FC Porto garantir que não vai ficar no plantel de Vítor Bruno.

Villas-Boas confirma saída de Pepe por “redução da massa salarial” Presidente do FC Porto quer homenagear Conceição e aproximação aos rivais

“O que transmiti ao Pepe, de certa forma e que é de bom senso comum, é que todo o seu futuro está intimamente ligado ao FC Porto, seja do ponto de vista apenas emocional ou até do ponto de vista profissional. Sobre a sua continuidade, enquanto jogador do FC Porto, isso não irá acontecer. Foram-lhe explicadas as razões pelas quais, infelizmente, não poderá acontecer. no entanto, temos o máximo de respeito pela sua carreira. Há um caminho diferente e há também uma preocupação, de certa forma, de o novo FC Porto reduzir massa salarial e custos. Isto foi explicado ao Pepe e ele entendeu assim. Irá tomar a decisão que entender relativamente à sua carreira e as portas do FC Porto estarão sempre abertas para ele”, disse André Villas-Boas em entrevista ao canal Now.

 
Assine um ano por 79,20€ 44€

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Para continuar a ler assine o Observador
Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Apoie o jornalismo. Leia sem limites. Verão 2024.  
Assine um ano por 79,20€ 44€
Apoie o jornalismo. Leia sem limites.
Este verão, mergulhe no jornalismo independente com uma oferta especial Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver ofertas Oferta limitada