A promessa? Deixarmos de limpar casa. O resultado? Vamos ter de continuar a fazê-lo, mas com maior facilidade. Testámos dois modelos de aspiradores robô, os Roomba 696 e 980, da iRobot, uma das empresas pioneiras da tecnologia doméstica que está a entrar cada vez mais em mais casas. Pusémo-los à prova contra algumas das principais sujidades que se pode encontrar num lar e, depois, levámos (literalmente) os robôs para a rua.

[Veja aqui a nossa experiência com dois robôs aspiradores. Pusemo-los à prova com um cão, penas, geleia e na calçada portuguesa]

Em vez de máquinas humanoides que pegam numa vassoura ou esfregona por nós, os robôs que atualmente estão disponíveis no mercado têm, por norma, um design redondo e achatado. Mesmo assim, limpam sozinhos todos os cantos e superfícies.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.