Olá

833kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

i

fernando picarra

fernando picarra

E os melhores lugares para trabalhar são...

Foi no passado dia 29 de março, no Casino Estoril em Lisboa, que se ficou a conhecer os 50 melhores lugares para trabalhar, em Portugal. Em noite de festa, não faltaram motivos para celebrar.

A noite começou no Salão Preto e Prata do Casino do Estoril, depois de uma receção à altura dos convidados. Foi nesta sala de renome onde foram dados a conhecer, pela Great Place to Work, os 50 melhores lugares para trabalhar, em Portugal.

Desde 2000 que a Great Place to Work distingue as empresas Melhores Lugares para Trabalhar em Portugal, através de uma auditoria das políticas e práticas de gestão de pessoas das empresas participantes. Na edição de 2023 – desde março de 2022 a janeiro de 2023 – cerca de 60 mil colaboradores foram ouvidos, através do survey Trust Index – uma ferramenta que permite uma comparação não só com as empresas nacionais, mas também com empresas presentes em mais de 100 países. Tal como em 2022, este ano foram reconhecidas 50 empresas, em 5 dimensões: até 50 colaboradores; entre 51 e 100 colaboradores; entre 101 e 200 colaboradores; entre 201 e 500 colaboradores e mais de 500 colaboradores. Cada dimensão integra um total de 10 empresas reconhecidas.

18 fotos

O pontapé de partida para o início da cerimónia foi dado por CEO’s da Great Place to Work, de vários países do mundo, entre os quais Michael Bush, CEO Great Place to Work Inc; Carlos Alustiza, CEO Great Place to Work Argentina; Dimitris Ganoudis, CEO Great Place To Work Grécia; Jeanette Bergvall, CEO Great Place to Work Suécia; Frank Hauser, Great Place to Work Alemanha; Eyup Toprak, CEO Great Place to Work Turquia e Jennifer Guintu, Director, Global Licesing & Development Great Place to Work Inc.

Depois, foi altura de subir a palco Mauricio Korbivcher, CEO & Country Manager da Great Place to Work Portugal e Candida Morais, CFO & events. Para o CEO, “esta é uma noite de festa”, começa por dizer. “Nós estamos muito felizes. Temos uma comunidade de 2023 constituída com 50 das melhores empresas para trabalhar em Portugal, nas várias dimensões. E o mais importante é que vamos ter uma população dessas 50 empresas aqui, a celebrar. Não é uma noite de discursos, é uma noite de festa e de celebração”. Já para a CFO, o princípio de se ser um cidadão é participar tanto nas soluções, como nos problemas e “eu acho que isso, dentro das empresas, pode ser feito por cada colaborador, respondendo ao inquérito com honestidade e apontando tudo aquilo que existe de bom e tudo aquilo que pode ser melhor. Não é fácil ser-se CEO de uma empresa, mas tudo se torna melhor quando temos equipas “engajadas” com o nosso propósito e se pode partilhar um espírito de camaradagem. Pequenas ou grandes empresas nunca fazem nada sozinhas. Fazemos sempre em equipa”.

18 fotos

Boas-vindas dadas, foi altura de dar início à entrega de prémios com a ajuda de Rodrigo Gomes e Ana Colaço, locutores de rádio e apresentadores da cerimónia. Os primeiros galardoados da noite foram as empresas na categoria até 50 colaboradores. Untile, Nezasa, Estoril Sol Digital, Apgar Consulting Iberia, Sales Force, F5IT, LS Retail, Grünenthal S.A, JTA Consulting e Tridonic foram os nomes vencedores desta categoria.

Após uma pausa para jantar, foi altura de seguir para a 2.ª categoria da noite – as empresas entre 51 e 100 colaboradores. Aqui, as empresas Coverflex, Megautoria, Stellaxius, OLR, Kiabi, Merck, Innotech, Haleon, UCI e Decunify foram consideradas os 10 melhores lugares para trabalhar. Já na categoria entre os 101 e os 200 colaboradores, AbbVie, Mind Source, GSK, Doutor Finanças, Hilti, Diconium, Crossjoin Solutions, InterContinental Lisbon, CA Seguros, Arquiconsult – Sistemas de Informação foram os nomes distinguidos. Nas duas últimas categorias, Hilton, Kaizen Gaming, OLX Group, DHL Express, Medicare, Multicare, Arrivia, Bouygues Telecom Services, Abreu Advogados e Air Liquide foram os vencedores na categoria dos 201 e 500 colaboradores, e a Cisco, a Noesis, a Norauto, a ERA Imobiliária, a Fidelidade, a Solvay, a Webhelp Norte, a Leroy Merlin, a Teleperformance e o Banco Credibom foram os nomes com destaque na última categoria – empresas com mais de 500 colaboradores.

Com a noite quase a chegar ao fim, ainda sobrou tempo para galardoar as empresas que se destacaram nas 4 grandes categorias Sociais  – Cultura for ALL, Qualidade de Vida, Desenvolvimento Humano e Comunidade – bem como, a empresa que entrou pela primeira vez no ranking com o maior índice de confiança, o prémio Revelação. Os aplausos não cessaram e a noite foi terminada com uma certeza – existe cada vez mais um maior número de empresas que colocam as suas pessoas em primeiro lugar.

20 fotos

Em 2023, mais de metade das empresas destacadas (28), foram uma novidade, quando comparado com a lista da edição passada. Assim, estes resultados vêm provar que estas são empresas que se adaptam com mais facilidade a contextos marcados pela incerteza e instabilidade, facto que se evidencia pelo Trust Index de 86%, provando que a confiança dos seus colaboradores na sua empresa é muito elevada. Nestes ambientes de trabalho observa-se uma preocupação evidente em criar um excelente lugar para trabalhar para todos, independentemente de quem são ou da função que ocupam. Esta preocupação está patente no aparecimento de um conjunto de políticas e práticas de gestão de pessoas, relacionadas com a temática da diversidade e inclusão. Nesta edição, este é um tema transversal a todas as organizações. Se é evidente que a pandemia obrigou a implementar o teletrabalho, o pós-pandemia veio obrigar as empresas a refletirem sobre qual o caminho que pretendem seguir. A política de teletrabalho, os regimes híbridos e/ou presenciais foram um tema dominante.

O que é certo é que nesta noite de festa, todas as atenções estiveram viradas para estas empresas, que são uma referência no tecido empresarial português, e que, acima de tudo, têm traçado o seu caminho para se tornarem melhores lugares para trabalhar.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

 
Assine um ano por 79,20€ 44€

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Para continuar a ler assine o Observador
Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Apoie o jornalismo. Leia sem limites. Verão 2024.  
Assine um ano por 79,20€ 44€
Apoie o jornalismo. Leia sem limites.
Este verão, mergulhe no jornalismo independente com uma oferta especial Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver ofertas Oferta limitada