Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O primeiro português a chegar à elite do motociclismo conta a sua história na primeira pessoa. O caminho que o levou até ao MotoGP foi longo e cheio de curvas, de avanços e recuos, com muito menos glamour e muito mais sofrimento do que se imagina”. É assim que surge apresentado o livro “Next Level, 44 Curvas até ao MotoGP”, escrito por Miguel Oliveira em conjunto com a jornalista Edite Dias e publicado pela Casa das Letras, em vésperas de estreia do piloto português na categoria rainha do Moto GP no Qatar, depois de ser vice-campeão em Moto 3 e Moto 2.

Ao longo de 44 capítulos (o número que usou sempre até este ano, em que passou para o 88 por ter o 44 “ocupado”), estão contadas “histórias de amor, desilusão, persistência, sem esquecer as noites mal dormidas, as contas feitas e refeitas, os milhares de quilómetros em carrinhas novas, outras velhas, muitas vezes emprestadas, que levaram Miguel Oliveira até ao seu sonho”. A isso juntam “momentos de alegria, profunda emoção e gargalhadas honestas”. “Miguel Oliveira demorou 15 anos a chegar ao MotoGP, o palco de sonho de qualquer piloto, dos mais afortunados aos mais talentosos”, acrescenta-se.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.