Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O que tem o amor a ver com ciência? Mais do que se pode imaginar. É pelo menos essa a convicção de Luís Portela para quem o mundo vive hoje um profundo desequilíbrio: se, por um lado, se investiu na sofisticação científica e tecnológica para aperfeiçoar o conhecimento do corpo humano e as melhores formas de o manter saudável e com mais tempo de vida, por outro, descurou-se por completo a saúde espiritual. A consequência? Um mundo onde os homens vivem mais tempo, mas onde faltam valores, espiritualidade e atitudes positivas em prol de um bem maior — e coletivo.

Formado em Medicina, o homem que fundou e é atualmente chairman de uma das maiores empresas farmacêuticas portuguesas, a Bial, Luís Portela assume-se assim um curioso pelos temas da espiritualidade e da parapsicologia, que aprendeu a cruzar com a investigação científica. Neste seu novo livro — Da Ciência ao Amor – Pelo Esclarecimento Espiritual — o clínico, professor, empresário e investigador nascido no Porto em 1951 reúne uma série de ideias, dicas e dados científicos sobre a vida espiritual, mas tenta também desmontar alguns mitos que, defende, resultam da ignorância que demasiadas vezes é explorada.

Ao longo de 24 capítulos — que atravessam temas tão distintos como experiências de quase-morte, psicocinese, mediunismo, processos de auto-cura, mindfullness ou a felicidade — o autor funda a sua reflexão nas mais recentes investigações na área da parapsicologia. Este trabalho surge depois do livro Ser Espiritual – Da Evidência à Ciênciapublicado em 2013, que teve 24 edições.

Para ter uma primeira antecipação do livro que é apresentado esta quarta-feira, 23 de maio, em Lisboa, antecipamos dois capítulos nesta pré-publicação: um dedicado à mudança de paradigmas e outro sobre a importância e impacto da reflexão e modos de pensar nas nossas vidas.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.