Índice

    Índice

A “Operação Liberdade” de Juan Guaidó falhou. O Presidente interino prometeu o fim de Nicolás Maduro, mas no final os militares que o apoiaram fugiram e o povo não saiu massivamente às ruas. Porquê? Por quatro razões, que descrevemos em baixo.

O simbolismo de Guaidó é forte, mas as armas ainda falam mais alto

O campo do simbolismo é aquele onde Juan Guaidó é mais forte. O jovem político de 35 anos é Presidente interino da Venezuela apenas com poder simbólico, lidera uma Assembleia Nacional com funções meramente simbólicas, é reconhecido por vários países da comunidade internacional com resultados, até hoje, estritamente simbólicos.

Petróleo, ouro e poder: como Maduro comprou os militares e garantiu (até ver) o seu apoio

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.