Índice

“Sim, Sr. Procurador” é uma minisérie documental que o Observador publicou com os principais momentos dos interrogatórios da Operação Marquês. Agora, todos os episódios estão juntos aqui.

O interrogatório a José Sócrates

As respostas do ex-primeiro-ministro: “A primeira vez que ouvi falar em offshores”; “Tenho tido dificuldades financeiras”; “Ainda não devolvi nada”; “Não são códigos, não”; “Tenho orgulho no livro que fiz”.

Os interrogatórios a João Perna

O salário pago por fora, as despesas pagas a Sócrates e a fortuna que vinha “de um esconderijo”, contadas pelo motorista do ex-primeiro-ministro.

O interrogatório a Vara

“Só poderia fugir para Vinhais, (…) não era grande fuga”. A indignação de Armando Vara com a detenção, o silêncio sobre 1 milhão na conta e o orgulho no negócio Vale do Lobo — que “correu mal”.

O interrogatório à filha de Armando Vara

“Ainda confia [no seu pai]?”, perguntou o advogado Rui Patrício a Bárbara Vara, durante o interrogatório onde a filha do ex-administrador da CGD falou sobre a conta na Suíça.

O interrogatório ao blogger que defendia Sócrates

Passou “horas e horas” ao telefone com Sócrates para o ajudar na escrita da tese, mas não para receber recados para o blogue, garante. “Não sou papagaio de ninguém”, respondeu António Costa Peixoto.

O interrogatório a Carlos Santos Silva

A ajuda a Sócrates para manter o “status”. O tom com que o ex-primeiro-ministro exigia o dinheiro. Os pagamentos à amiga na Suíça. A compra do livro porque “gostava”. E os muitos “portantos” de Carlos Santos Silva.

O interrogatório a Sofia Fava

As respostas da ex-mulher de Sócrates ao Ministério Público: o empréstimo para a compra do monte no Alentejo e o salário de 5 mil euros pago por Santos Silva, sem passar recibo: “Esse é o meu crime”.

O interrogatório a Henrique Granadeiro

“Esse pagamento dos 6 milhões foi generoso”; “Sou amigo do Dr. Ricardo Salgado, apesar de agora… ele estar leproso”. “Não tenho vocação para palhaço”. O interrogatório ao ex-presidente da PT.

O interrogatório a Zeinal Bava

O ex-CEO da PT admitiu que recebeu 6,7 milhões de euros de Salgado sem passar um recibo ou assinar um contrato. E queixou-se da “guerra fratricida” que a Ongoing lhe terá movido.

O interrogatório a Ricardo Salgado

O pedido de um copinho de água por estar em choque. Um telefonema de Guterres. O amigo Soares. O livro de Sócrates que nunca leu. E Helder Bataglia, que “no início era um homem genial”.

O interrogatório a Joaquim Barroca, do Grupo Lena

A relação com Santos Silva, que “não era um magnata a falar línguas”. Os 12 milhões do amigo a render juros. E os encontros inesperados com o ex-primeiro-ministro: “Quando chego ao peixe estava o sr. eng. Sócrates”.

O interrogatório a Hélder Bataglia

O empréstimo de 7,5 milhões ao primo de Sócrates. O pedido de um banco a José Eduardo dos Santos. E as transferências para Carlos Santos Silva. Ouça como Hélder Bataglia incriminou Ricardo Salgado.