A campanha presidencial já terminou, dando a Marcelo Rebelo de Sousa a renovação do seu mandato por mais cinco anos. Mesmo assim, há quem continue a incentivar o clima de crispação entre candidatos, nomeadamente, entre Ana Gomes e André Ventura, que disputaram o segundo lugar nesta eleição. Numa ação de campanha em Setúbal, que decorreu a semana passada, o líder do Chega foi recebido por manifestantes que, à saída, lançaram alguns objetos — pedras, isqueiros e caixas de pastilhas elásticas — direcionados para o candidato, como reportado por diferentes órgãos de comunicação social, das televisões, às rádios, passando pelos jornais de Portugal.

Post viral alega que Ana Gomes apoiou manifestações contra André Ventura em Setúbal.

A 21 de janeiro, no mesmo dia desse evento, surgiram rumores no Facebook, com a partilha de imagens do sucedido, onde se dizia que Ana Gomes defendeu estes atos. “É isto que Ana Gomes defende. São estes os seus eleitores. É esta a sua estratégia. É isto o socialismo”, lê-se na publicação. Atingiu as 212 partilhas. Trata-se, no entanto, de uma publicação falsa.

“Sou contra qualquer tipo de protesto violento contra qualquer candidato. Ninguém atua de forma violenta em meu nome”. Este foi o tweet  escrito pela socialista no mesmo dia da manifestação contra André Ventura em Setúbal, que chegou mesmo a envolver carga policial. Aliás, tal como Ana Gomes, também Marisa Matias e Tiago Mayan Gonçalves tiveram exatamente a mesma reação, condenando o ocorrido.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ou seja, mesmo que alguns dos manifestantes, neste caso da comunidade cigana, tal como escreveu o Observador noutro fact-check, tenham levado cartazes de apoio à candidata independente, a própria rejeitou que essa mobilização seja feita através de atos mais violentos.

Mais tarde, também no mesmo dia, Ana Gomes falou aos jornalistas no Coliseu do Porto, reforçando a ideia que já tinha deixado clara na sua conta de Twitter. “Não tenho rigorosamente nada a ver com o que se passou e ninguém atua de forma violenta em meu nome. A democracia para mim é o diálogo de ideias e o voto. Em nenhuma campanha é bom que haja violência”, disse, citada pelo Observador.

Convém também referir que a publicação original não apresenta argumentos ou factos que sustentem a acusação que é feita à antiga embaixadora. Limita-se a partilhar dois frames de reportagens da SIC Notícias com imagens dos manifestantes presentes em Setúbal, que nada comprovam o que é transmitido.ues

Conclusão

Não é verdade que Ana Gomes tenha apoiado e defendido a manifestação contra André Ventura em Setúbal. A candidata independente chegou mesmo a condenar os actos de maior violência registados nesse dia na sua conta oficial de Twitter, negando qualquer envolvimento neste evento. Mais tarde, Ana Gomes voltaria a repudiar o que se tinha passado na acção de campanha do líder do Chega. De facto, surgiram alguns apoiantes com cartazes da antiga eurodeputada, mas esse acontecimento, sozinho, não  a liga, em nada, ao que se passou.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO 

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

IFCN Badge