A imagem é de uma carruagem, sobrelotada de passageiros, de tal forma que mal as portas fecham. Na legenda lê-se: “Aqui está a prova de que a culpa é efetivamente da restauração e do comércio. Tenha vergonha Sr. António Costa e respetivos governantes.” Com data de 18 de janeiro, a publicação de Facebook tem sido amplamente partilhada desde então. Acontece que a imagem não é de uma carruagem de um transporte público português e uma busca reversa de imagem mostra que a mesma fotografia já foi usada noutras redes sociais por utilizadores de França, Itália, Espanha ou Grécia para atacarem os governos dos seus países pela falta de distanciamento social nos transportes.

Apesar de a imagem partilhada não ter sido tirada em Portugal, isso não é sinónimo de que situações semelhantes não estejam a ser vividas por cá. Desde o início da pandemia que a sobrelotação dos transportes públicos tem sido uma queixa frequente dos utilizadores. Recentemente, a 2o de janeiro, o Observador deu conta disso mesmo: na Linha de Sintra, foram vários os comboios que sofreram atrasos devido a uma avaria na infraestrutura da linha de acesso ao parque de estacionamento de comboios, em Algueirão.

Sobrelotação foi “pontual”. CP diz que procura na linha de Sintra caiu 50%

Por outro lado, um relatório da Estrutura de Monitorização do Estado de Emergência, coordenada pelo Ministério da Administração Interna, e divulgado esta quarta-feira, 27 de janeiro, pelo jornal Público, aponta casos de sobrelotação nos transportes públicos, embora “pontuais e esporádicos”, tanto em Lisboa como no Porto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os exemplos são em composições do metropolitano nas duas cidades que, segundo o relatório, circularam com uma ocupação acima do recomendado pela Direção Geral de Saúde, ou seja, dois terços do habitual, no período compreendido entre 24 de Dezembro a 7 de Janeiro

Publicação já foi partilhada centenas de vezes nas redes sociais

Conclusão:

A imagem partilhada no Facebook não é de um transporte público em Portugal, embora não faltem imagens nas redes sociais e na comunicação social a mostrar que essa realidade se tem repetido por cá. Um relatório da Estrutura de Monitorização do Estado de Emergência, divulgado esta quarta-feira, 27 de janeiro, aponta casos de sobrelotação nos transportes públicos, embora “pontuais e esporádicos”, tanto em Lisboa como no Porto.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge