O tema tem dado azo às mais diversas montagens nas redes sociais — uma área da comunicação em que a própria Iniciativa Liberal se destacou nos últimos anos. Miguel Quintas era candidato e, no minuto seguinte, deixava de ser. Avançaria aquela que é a número dois da lista à capital? Caberia ao presidente João Cotrim Figueiredo assumir a despesa eleitoral? Quem é o candidato que se segue, afinal? A solução para essa procura deu lugar a um tweet — uma montagem, esclarecemos desde já. Tiago Mayan Gonçalves (candidato às presidenciais de janeiro) publica a foto do cartaz da IL no Marquês de Pombal onde se lê em letras garrafais: “Procuramos candidato a Lisboa.” Ao lado, um acrescento com a frase “a luta continua”.

A juntar tudo isto está uma mensagem de Mayan Gonçalves a desafiar os seus seguidores virtuais: “Deixem o vosso candidato nos comentários.” Mas o suposto cartaz em jeito de anúncio, já sabemos, não existe. Na verdade, nada naquela imagem que tem sido reencaminhada múltiplas vezes nas últimas horas no WhatsApp é real.

A suposta conta de Tiago Mayan Gonçalves de onde parte o tweet, com o link @MayanLiberal, não corresponde a qualquer das duas contas (esta e esta) que o ex-candidato presidencial alimenta regularmente naquela rede social. A fotografia também não tem relação com qualquer das contas. E, em bom rigor, na data e na hora visíveis no suposto tweet (20h13 desta quarta-feira, 10 de março), as contas oficiais do liberal no Twitter não registaram qualquer atividade pública.

Nem número dois promovida, nem Cotrim. Candidato procura-se na IL após saída atribulada

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Aparte estes dados, a assessoria de imprensa da Iniciativa Liberal confirmou ao Observador que aquele print screen se trata, efetivamente, de uma montagem que procura fazer humor com as dificuldades do partido em encontrar um (novo) cabeça de lista para a Câmara Municipal de Lisboa, nas eleições autárquicas deste ano, depois da saída de cena de Miguel Quintas. O partido promete uma solução para breve mas, até ao momento, ela ainda não foi anunciada.

Mas este não é, de resto, caso isolado à volta deste episódio na capital. Há poucos dias, um outro tweet começou a circular com um alvo claro: a Iniciativa Liberal e a candidatura do partido à principal autarquia do país.

“We need education” (precisamos de educação), escrito a letras vermelhas num muro de pedra. A capa do álbum “Another Brick On The Wall”, dos Pink Floyd, foi a referência que serviu de inspiração à mensagem do partido para o Governo, em pleno confinamento, numa defesa clara da reabertura das escolas. Ora, na versão que circulou nas redes sociais nos últimos dias, a palavra “education” (educação) do cartaz original foi riscada a negro e, por baixo, passava a ler-se “a candidate” (um candidato). No fundo, “we need a candidate” (ou “precisamos de um candidato”). O objetivo dispensa traduções.

Conclusão

Não foi Tiago Mayan Gonçalves quem partilhou o cartaz com um “anúncio” em que se pede um candidato para a corrida à Câmara Municipal de Lisboa. A conta que partilha o tweet não pertence ao ex-candidato presidencial. Mais: o cartaz partilhado também não existe.

Tudo não passa de uma montagem que aproveita os sobressaltos da Iniciativa Liberal na definição de um nome para a autarquia para lançar uma farpa política.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

[Texto clarificado nas referências à conta que lançou o tweet para indicar que, apesar de estar ativa, não se trata de uma conta oficial de Tiago Mayan Gonçalves]

IFCN Badge