Já tinha acontecido no período do confinamento, associado ao estado de emergência, e voltou agora com o disparar do número de casos da Covid-19 em Portugal: a informação de que, se tiver sintomas de Covid-19, e caso a linha da Saúde 24 esteja impedida, deve contactar as autoridades de saúde através de um e-mail alternativo. Vários foram os utilizadores de Facebook que partilharam esta “informação importante” nos últimos dias, mas a informação é falsa. Não é verdade que o e-mail em causa sirva como alternativa à linha SNS24: as duas formas de comunicação servem propósitos diferentes.

Publicação está a ser partilhada nas redes sociais, e já tinha circulado entre março e abril no início da pandemia em Portugal

A publicação em causa chegou às 47 mil visualizações nos últimos dias. O aviso, que tem como título “informação importante”, diz mesmo que foram os médicos do SNS que pediram que a informação chegasse ao maior número de pessoas de forma a não entupir o Serviço Nacional de Saúde.

“Se suspeitam estar com a Covid-19 e a linha da saúde 24 não atender, mandem um mail para atendimento@sns24.gov.pt. Eles respondem dentro de meia hora. Por favor, partilhem para não entupirem ainda mais a linha de saúde 24”, lê-se na publicação.

Acontece que esse endereço de e-mail não serve para atender pessoas que suspeitem estar infetadas nem sequer para fazer triagem de sintomas. Como se lê no site do governo destinado aos esclarecimentos sobre a Covid-19, só mesmo a linha SNS24 é que tem essa função: “+351 808 24 24 24 – Linha SNS 24 para triagem de sintomas e esclarecimento de dúvidas sobre Covid-19”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O e-mail em questão (atendimento@sns24.gov.pt) é válido, sim, e até está associado aos serviços do SNS 24, mas serve apenas para “esclarecimento de dúvidas”, sendo que o próprio Governo alerta: “Não utilizar para diagnóstico médico”. Ou seja, só mesmo a linha telefónica do SNS 24, que tem profissionais de saúde qualificados a atender as chamadas, faz essa função de avaliar os sintomas e concluir que a pessoa deve — ou não — ser encaminhada para a testagem.

Informação do Governo português sobre os contactos úteis diz claramente que e-mail não serve para diagnóstico

Também a página do Ministério da Saúde/DGS relacionada com a Covid-19, na parte das “perguntas frequentes”, deixa claro que, em caso de dúvida sobre sintomas, deve-se contactar apenas e só a linha SNS 24. “Os utentes com suspeita de Covid-19 devem contactar o SNS24”, lê-se, no mesmo ponto em que se dá indicação aos restantes doentes, que não têm suspeita de Covid, de contactarem diretamente o seu centro de saúde.

A título de curiosidade, e como esta questão sobre o e-mail já tinha sido levantada em março/abril, na primeira vaga da pandemia em Portugal, a câmara de Alenquer, por exemplo, emitiu um esclarecimento com ‘perguntas frequentes’ relacionadas com a Covid-19 em que deixa esse ponto bem esclarecido:

“Devo ligar sempre SNS 24? Em que situações?
Deve ligar para o SNS 24 – 808 24 24 24 – em caso de sintomas como febre, tosse ou dificuldade respiratória. Em caso de dúvidas deve primeiro consultar a informação no site do SNS 24 (sns.gov.pt) ou através do microsite da DGS (covid19.min-saude.pt). Apenas se mantiver dúvidas ou sintomas é que deve ligar para o SNS 24. 

Em caso de o SNS 24, não atender o que faço?
O SNS 24, no seu site (sns24.gov.pt) disponibiliza conteúdos informativos sobre o COVID-19 (validados pela Direção-Geral da Saúde) para o cidadão, nomeadamente:
– informações gerais sobre o COVID-19 (o que é; quais os sintomas; como se transmite e entre outras); 
– as medidas preventivas da infeção por COVID-19 (medidas de prevenção à população geral e para viajantes, como o que deve ser feito após o regresso de viagem (com sintomas e sem sintomas), entre outras questões);
– questões relativas à transmissão informações sobre o isolamento e quarentena. 
Para esclarecimentos ou informações poderá consultar o site para efeitos informativos, se sentir em perigo de vida liga 112, e continua a tentar.

O e-mail atendimento@sns.gov.pt substitui a linha SNS24?
Não. O email é uma das formas de contactar o SNS 24, mas através do email não se faz triagem e, por isso, não substitui em caso de necessidade o contacto com a linha telefónica – 808 24 24 24. Para os serviços informativos pode consultar o site do SNS 24 — sns24.gov.pt ou o microsite COVID 19 —  https://covid19.min-saude.pt/.

Além disto, a publicação que se tornou viral aconselha ainda a contactar o 300 502 502 para esclarecimento de dúvidas sobre assistência à família, baixa ou quarentena — e isso, sim, é verdade. Trata-se de uma linha da Segurança Social criada apenas para prestar apoio desse tipo: “Para esclarecimentos sobre assistência à família, subsídio de doença e quarentena”, lê-se no site do Governo.

Conclusão

Não é verdade que o e-mail em questão sirva como alternativa à linha SNS24, uma vez que não serve para fazer triagem dos sintomas. Só o 808 24 24 24 (SNS24) tem profissionais de saúde qualificados do outro lado da linha para avaliar os sintomas e referenciar o doente para fazer o teste da Covid-19, ou não. O e-mail referido é válido, sim, mas apenas para esclarecimento de dúvidas diversas relacionadas com o SNS 24.

O outro contacto que a publicação partilhada no Facebook refere — 300 502 502 — serve, como diz o post, para dúvidas sobre assistência à família, baixas médicas, subsídios de doença e quarentena. Trata-se de uma linha ligada aos serviços da Segurança Social. É, portanto, falso que os médicos do SNS tenham pedido para partilhar aquela publicação, uma vez que o e-mail atendimento@sns.gov.pt não se substituiu à linha de Saúde 24 e, por isso, de nada serve para travar o entupimento daquela linha.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

Nota 2: O Observador faz parte da Aliança CoronaVirusFacts / DatosCoronaVirus, um grupo que junta mais de 100 fact-checkers que combatem a desinformação relacionada com a pandemia da COVID-19. Leia mais sobre esta aliança aqui.

IFCN Badge