A publicação é de 2018 e mostra duas imagens iguais, com um ano de diferença: a primeira de um incêndio na encosta de uma montanha (em 2017), e, a segunda, já com eólicas no mesmo lugar. A leitura era óbvia — o fogo foi posto para que se pudessem construir aqueles aparelhos. O post acabou por se tornar viral nessa altura e voltou a surgir agora, dois anos depois. Chegou às 17,8 mil visualizações e às 288 partilhas. A imagem, no entanto, foi manipulada, não correspondendo à realidade.

As duas imagens publicadas no Facebook

Apesar de a publicação original ser de 2018, a imagem voltou a ser recentemente partilhada no Facebook por um utilizador português, dando a entender que o incêndio em causa teria ocorrido em Portugal. Mas isso não corresponde à verdade, até porque não há nada na imagem que identifique o país. Depois de uma busca das duas imagens, através da ferramenta Google Image, foi possível perceber que o incêndio ocorreu na Grécia, na região de Ática, há três anos, na zona florestal de Molykreio, não afectando zonas residenciais. Já a ponte que se vê na imagem é a Antirrio.  Em 2018, ocorreram de facto incêndios graves, de grandes dimensões, naquela região grega, onde morreram 102 pessoas, tendo-se tornado num dos desastres ambientais mais trágicos deste século.

Por causa destes eventos trágicos, a imagem começou a ser partilhada na internet, o que levou o Ellinika Hoaxes, um dos parceiros do Observador na Aliança CoronaVirusFacts/DatosCoronaVirus, a verificar a publicação. Surgira o rumor de que os incêndios teriam sido ateados como resultado de vários interesses económicos, como a exploração da bauxita, ou a instalação de turbinas eólicas naquela região.

O Ellinika Hoaxes começou por descartar a possibilidade de exploração da bauxita até porque, segundo foi confirmado pelo site de fact checking grego, não houve licença para dar início à sua mineração. Em relação aos incêndios de 2017 que, segundo a imagem, datam de 12 de agosto, dizem respeito, na verdade, a 27 de agosto desse mesmo ano, como comprovado por este vídeo publicado no Youtube e partilhado pela Lepanto R-TV.

Além disso, também não é verdade que as turbinas eólicas tenham sido instaladas após o incêndio, logo no ano seguinte, nem tão pouco naquele local. Estão lá desde 2014, como registado no site Energy Register, onde é possível encontrar toda a informação sobre os contratos, datas e demais informações de infraestruturas ligadas ao sector da energia na Grécia. Como verificado pelo Ellinika Hoaxes, recorrendo a ferramentas de geolocalização, é possível perceber que o incêndio não decorreu no mesmo local onde estão instaladas as turbinas, ainda que estejam num local relativamente próximo.

Imagem onde se assinala o local dos incêndios de 2017

O Observador utilizou a ferramenta Google Earth para perceber se, do lado contrário à região onde ocorreram os incêndios – ou seja, do outro lado da ponte Antirrio -, tal como se vê na imagem da publicação, seria possível ver turbinas eólicas. Tal não se verificou, como registado na imagem abaixo. Ou seja, a imagem em questão foi manipulada.

Conclusão

A publicação que se tornou viral no Facebook, afirmando que um incêndio teria sido ateado para dar lugar à construção de turbinas eólicas, é falsa. Além de referir datas erradas, a imagem foi manipulada. Não é verdade que as turbinas tenham sido instaladas após um incêndio ocorrido em 2017. Elas existem no mesmo local desde 2014, como confirmado pelo site de fact checking grego, Ellinika Hoaxes, parceiro do Observador, e o incêndio, que ocorreu naquele ano, não aconteceu naquele local.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge