Quando chegou ao futebol brasileiro, o treinador português Jorge Jesus foi bastante criticado por parte da imprensa brasileira, não por ser português, pois, os dois países possuem laços de amizade, mas, por ser estrangeiro. Existe, sim, uma certa desconfiança acerca do desempenho de um treinador estrangeiro no Brasil, não pela qualidade dos treinadores, mas, pela adaptação ao intenso futebol brasileiro, que no entendimento de todos, é um dos aspetos que mais pode dificultar o desempenho de um treinador por não conhecer a realidade do Brasil continental. Além disso, recentemente, alguns técnicos estrangeiros, não foram bem nas suas passagens pelo país.

Posto isto, o treinador estrangeiro irá encontrar no Brasil uma realidade completamente diferente dos países europeus, que são pequenos em extensão, diferente do Brasil, onde cada estado é como se fosse um país dentro do grande país, em que há a cultura do regionalismo, tendo cada região sua própria imprensa, as suas próprias tradições, e a sua própria maneira de ver o futebol, que valoriza os campeonatos estaduais, as equipas da região e as disputas regionais.  Além do regionalismo, existe também a dificuldade das distâncias que são gigantescas, aliado a um calendário bastante intenso, onde se joga quarta e domingo, e se encontra espaço para o campeonato estadual, Taça do Brasil; Copas regionais; Brasileirão e torneios Sul-Americanos. Além disso, outro fator é o equilíbrio que existe nas terras de Vera-Cruz, algo incomparável com qualquer campeonato europeu, pois, no Brasil, cada jogo é muito difícil, mesmo um jogo contra uma equipa de uma divisão inferior.

Portanto, o clima na chegada do treinador luso foi de muita desconfiança, e críticas, pois, além de ser estrangeiro, Jorge Jesus foi chamado para comandar uma equipa que nos últimos anos não tem demonstrado um bom desempenho. Inclusive, não apenas o Flamengo, mas o futebol carioca de modo geral, já que os clubes da cidade maravilhosa não conseguem ter bom êxito em competições nacionais e internacionais, visto que nos últimos anos as principais conquistas têm sido dos clubes paulistas, gaúchos e mineiros. Sendo assim, estes aspetos reforçaram o temor de parte da imprensa, que considerou um erro a contratação de Jorge Jesus, pois, muitos alegaram que ele não conhece a realidade do futebol brasileiro, como o jornalista brasileiro Marcos de Vargas, que durante um programa desportivo de grande audiência nacional questionou o currículo de Jorge Jesus afirmando: “Que ele só venceu o campeonato português”. [1] Além deste, outros famosos jornalistas e comentaristas também criticaram a escolha do treinador, inclusive para muitos, o contrato de um ano era considerado um contrato de risco, como apontou o jornalista Fábio Sormani : “O Flamengo não deveria ter aceitado o que o Jorge Jesus propôs, que foi o contrato de um ano, para vencer na metade da próxima temporada. Foi um grande erro da diretoria do Flamengo”. [2] Outro que criticou a escolha de Jorge Jesus foi o ex-treinador e multi-campeão Muricy Ramalho, que hoje trabalha como comentarista desportivo, que afirmou: “’Quem é o melhor técnico para o Flamengo? É o Jesus?’ Eu duvido que foi isso. Foi algum empresário que falou ‘olha, nós temos esse técnico aqui que é muito bom’ e realmente é muito bom”[3].  Já Juca Kfuri, que além de jornalista é sociólogo, constatou assim no seu blog: “Há uma evidente má vontade com técnicos estrangeiros no Brasil…”[4]

Assim sendo, este foi o clímax inicial vivido no Brasil por Jorge Jesus, oposição que aumentou muito, pois, até a equipa do Flamengo acertar, teve um período de altos e baixos, e acabou perdendo alguns jogos pelo campeonato Brasileiro e foi eliminado pelo Athletico Paranaense na Taça do Brasil, o que intensificou as críticas, como a do jornalista Roberto Alves, um dos mais conceituados comunicadores do estado de Santa Catarina, que afirmou na sua coluna: “A estreia do técnico Jorge Jesus no Flamengo não foi lá essas coisas.”[5] Já Carlos Alberto, ex-jogador e comentarista da Fox Sports afirmou: “O Jorge Jesus não tem nada demais do que temos aqui. Torço pelo trabalho dele, não é torcer contra. Tomara que faça sucesso.” Já outros jornalistas pelo Brasil foram mais críticos, inclusive chamando Jorge Jesus de “Professor Pardal”[6], pois, muitos jornalistas afirmavam que ele inventava demais na escalação da equipa. No entanto, o treinador português não se deixou abater, e com o seu profissionalismo apurado passou a conquistar grandes resultados à frente da equipa carioca, que rapidamente foi subindo de produção, vencendo jogos importantes no campeonato Brasileiro, onde hoje ocupa a primeira posição, eliminando o sempre tradicional Internacional pela Taça dos Libertadores da América. Feitos que foram credibilizando o trabalho do treinador, e mudando assim os paradigmas. Agora ele não é mais questionado, mas admirado pelo seu trabalho. Com estes resultados, após 35 anos o Flamengo se classificou para as meias-finais da Taça Libertadores, onde irá enfrentar o tradicional Grémio, comandado pelo experiente treinador Renato Gaúcho, e apontado pela imprensa brasileira como uma das equipas mais vencedora do país nos últimos três anos, pois desde 2016 venceu seis títulos, a Libertadores em 2017 e chegou nas últimas três meias-finais da competição[7]. Será realmente um grande duelo.

Enfim, Jorge Jesus tem conquistado o seu espaço no sempre difícil futebol brasileiro, o seu trabalho está sendo muito reconhecido, diariamente tem concedido entrevistas aos principais meios de comunicação do país, já que atualmente a mesma imprensa que o criticava passou a admirar o seu trabalho. Assim sendo, a crítica imprensa brasileira, que no início demonstrou objeção, agora demonstra reconhecimento e admiração pelo trabalho de Jorge Jesus, como destaca o jornalista Paulo Vinicius Coelho, conhecido como PVC: “hoje, o Flamengo joga o melhor futebol do país e impressiona sobretudo pela movimentação do ataque. (…) O Flamengo é, neste momento, uma homenagem ao futebol.” Esta opinião não é apenas de PVC, mas, é compartilhada por vários jornalistas como Juca Kfouri, que assim sinalizou: “Quem dera todos os treinadores brasileiros fossem igual ao português.” Esta condição atual do Flamengo possui relação direta com o ótimo trabalho desenvolvido pelo técnico português Jorge Jesus que, inicialmente, foi olhado com desconfiança mas, com o passar do tempo, ganhou a confiança de toda a imprensa nacional, dos torcedores brasileiros e, em especial, do torcedor do Flamengo, uma torcida apaixonada, que vê em Jorge Jesus a esperança do retorno de grandes títulos a um clube que já teve grandes estrelas do futebol mundial como  Zico, Andrade, Júnior, Carpegiani, Romário — e agora Jorge Jesus!

Jornalista e professor

[1] Jornal Record (2019). Jornalista brasileiro arrasa Jesus: «Três títulos na porcaria do campeonato português?
[2] Jornal do DIA. (2019). Comentarista detona Flamengo por tempo de contrato com Jesus: “Foi uma burrice”
[3] Sapo desporto (2019). Muricy Ramalho: “Chegada de Jesus ao Flamengo foi um negócio de empresários”

[4] Kfouri, J. (2019). Jorge Jesus bancou o Jenio

[5] Alves, R. (2019). A Volta com tudo do Futebol

[6] Volock, B. (2019). Assim não há Jesus que resista, o professor Pardal português do Flamengo.

[7] Globoesporte (2019). Títulos, recordes e estátua: reveja 7 momentos dos três anos de Renato Gaúcho no Grêmio.