Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo: “Quando viro à direita, a direita não nota”

938

Marcelo diz que quando vira à direita, "a direita não nota". Em jeito de recado à oposição, o Presidente da República diz que direita não nota porque "está distraída a bater na esquerda".

Marcelo Rebelo de Sousa encontra-se em Andorra

PAULO NOVAIS/LUSA

O Presidente da República comentou esta sexta-feira com emigrantes portugueses em Andorra que Portugal “está a crescer, a crescer”, após uma caminhada em que deixou recados à oposição, afirmando que, quando vira à direita, “a direita não nota”.

No dia nacional de Andorra, Marcelo Rebelo de Sousa desceu em passo acelerado um caminho ao longo de uma encosta, com pedras soltas, até ao Santuário de Nossa Senhora de Meritxell, onde assistiu a uma missa em honra da padroeira do principado.

Agora viramos à direita, coisa que eu em Portugal já não faço há algum tempo“, observou a certa altura, acrescentando: “De vez em quando faço, mas a direita não nota. Eu quando viro à direita em Portugal, a direita está distraída a bater na esquerda, não nota. Em vez de aproveitar, não nota”.

Antes, quando lhe sugeriram que se aproximasse da beira da ravina para tirar uma fotografia, o Presidente declarou que essa sugestão só podia partir de alguém “feito com a oposição” e interrogou: “Quem será a oposição ao Presidente que ama todos os portugueses?”. Depois, deu a resposta: “Não há oposição. Tem de ser alguém muito distraído. Com quotas de popularidade de 80 e tal por cento, tem de ser alguém muito distraído”.

À conversa com o ministro do Interior de Andorra, Xavier Espot Zamora, Marcelo Rebelo de Sousa falou do início do seu percurso político e considerou que “a política é difícil em todo o lado e, sobretudo, é cada vez mais difícil“. No início deste percurso, o Presidente da República encontrou portugueses, entre os quais uma jovem enfermeira que lhe pediu “para lutar pelos enfermeiros em Portugal”. O Presidente da República respondeu “Vou recebê-los, vou recebê-los”, numa referência aos encontros que terá na próxima semana, no Palácio de Belém, com as ordens profissionais ligadas à saúde.

No final, já no Santuário, Marcelo Rebelo de Sousa voltou a encontrar emigrantes e, enquanto tirava sucessivas fotografias com os portugueses, comentou a situação nacional declarando: “Aquilo está a crescer, a crescer, a crescer. Turistas, turistas, turistas”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Primeiro-Ministro

António Costa: o eterno número dois

João Marques de Almeida
224

Costa está a substituir o líder porque não há outro e porque Sócrates não pode liderar o PS. O PS socrático não tem hoje alternativa. Mas eles sabem que o PM não é o verdadeiro líder do seu partido.

Saúde Pública

Votar o futuro da Saúde da nação

Francisco Goiana da Silva
154

Resta-nos a nós, cidadãos, esperar que quando esta medida de Saúde Pública [taxa do sal] for votada, os deputados não se esqueçam de acautelar a vontade da sociedade. 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site