UNESCO

Amarante, Barcelos e Braga classificadas como Cidades Criativas da UNESCO

2.565

A UNESCO distinguiu Braga por Artes Mediáticas, Barcelos por Artesanato e Arte Popular e Amarante por Música. Na lista das 64 Cidades Criativas está também Macau.

A Rede de Cidades Criativas da UNESCO foi criada em 2004

CHRISTOPHE PETIT TESSON/EPA

Amarante, Barcelos e Braga foram designadas como Cidades Criativas, anunciou esta terça-feira a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO, na sigla em inglês), que atribui a classificação.

Em comunicado, a UNESCO refere que Braga foi distinguida na categoria de Artes Mediáticas, Barcelos na categoria de Artesanato e Arte Popular, e Amarante na categoria de Música.

Na lista das 64 novas cidades a integrar a rede mundial da UNESCO está também Macau (Gastronomia), bem como as cidades brasileiras de Brasília (Design), João Pessoa (Artesanato e Arte Popular) e Paraty (Gastronomia).

Segundo um comunicado da Câmara Municipal de Braga, o projeto candidatado “aprofunda o cruzamento entre arte e tecnologia e reconhece o grande esforço da sociedade civil e de diversas instituições da cidade na transformação digital da cidade”.

“A aprovação da candidatura reflete a enorme qualidade do extenso trabalho coletivo que está a ser efetuado em Braga nesta área e é uma notícia que a todos enche de orgulho”, afirmou Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, citado no comunicado.

Também em comunicado, o município de Barcelos refere que, com o selo de Cidade Criativa da UNESCO, o concelho torna-se “uma referência mundial em artes e ofícios tradicionais”, nomeadamente no artesanato e na olaria.

O concelho realça que se trata de um título inédito entre cidades portuguesas, sendo Barcelos o único representante da Península Ibérica na categoria de Artesanato e Arte Popular.

Por seu lado, a candidatura de Amarante fundamentou-se na importância e no papel da música na história da cidade, destacando desde logo a presença de quatro órgãos de tubos ibéricos em três igrejas do centro histórico, recentemente restaurados e a funcionar regularmente.

Amarante realçou ainda os “grandes eventos” que o concelho acolhe direcionados para o domínio da música, designadamente o Festival Mimo, Band’arte, Há Fest, Palcos de Verão e Mercado da Música. As bandas filarmónicas e a Orquestra do Norte, sediada em Amarante, foram outros trunfos da candidatura.

No total, ainda de acordo com o comunicado da UNESCO, foram agora designadas como criativas 64 cidades de 44 países.

“Estas cidades juntam-se a uma rede na linha da frente dos esforços da UNESCO para promover a inovação e a criatividade como motores essenciais para um desenvolvimento urbano mais sustentável e inclusivo”, lê-se no comunicado.

A Rede de Cidades Criativas da UNESCO foi criada em 2004 para fortalecer a cooperação entre cidades que consideram a criatividade um fator estratégico de desenvolvimento urbano sustentável com impacto social, cultural e económico.

Em Portugal havia até aqui dois concelhos com a classificação: Óbidos, no domínio da literatura, e Idanha-a-Nova, na música.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site