Estados Unidos da América

Temperaturas muito baixas nos EUA matam pessoas e perturbam funcionamento social

120

Temperaturas baixas estão a afetar uma larga parte dos EUA, congelar torres de água no Iowa, suspender transportes fluviais em Nova Iorque e provocar a abertura de centros de aquecimento no sul.

JOAO ABREU MIRANDA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Temperaturas perigosamente baixas, responsabilizadas por nove mortes, estão a afetar uma larga parte dos EUA, congelar torres de água no Iowa, suspender transportes fluviais em Nova Iorque e provocar a abertura de centros de aquecimento no sul. O Serviço Meteorológico Nacional emitiu hoje avisos para vento frios e alertas de gelo, destinados a uma área que se espalha do sul do Texas até ao Canadá e do Estado de Montana ao de Nova Inglaterra.

Ao início do dia de hoje, a temperatura mínima registada em Indianapolis, capital do Estado de Indiana, igualou o recorde histórico para o dia 02 de janeiro, que tinha sido registado em 1887, nos 24ºC negativos. Mais a norte do Estado, em Lafayette, o recorde do dia foi mesmo pulverizado, ao passar de 21ºC negativos para 28ºC negativos.

“As temperaturas estão claramente extremas, mas já tivemos mais frio”, relativizou Joseph Nield, um meteorologista em Indianapolis, detalhando que o recorde absoluto de temperaturas negativas no Estado é de 38º Celsius, registado em 1994. Mas o frio é algo que se deve levar a sério, preveniram os meteorologistas.

Com ventos esperados na área de Chicago entre 29ºC negativos e 37ºC negativos, as autoridades têm prevenido para os riscos de hipotermia e queimaduras pelo frio e instaram os residentes a tomarem precauções, incluindo vestindo-se com camadas de roupa, usarem chapéu e luvas, cobrirem a pele exposta e levarem os animais domésticos para casa.

No Estado do Tennessee, os dirigentes de uma prisão de alta segurança estão a usar aquecedores portáteis e cobertores suplementares para manter quentes os detidos e os guardas.

Os hospitais em Atlanta estão a ter uma subida das deslocações aos serviços de urgência por casos de hipotermia e outros problemas de saúde, depois de temperaturas caírem acentuadamente. Em Atlanta, foram registados 11ºC negativos na madrugada de hoje.

“Temos um grupo de doentes que vem das ruas para escapar ao frio. Temos dezenas e dezenas todos os dias”, detalhou Brooks Moore, subdiretor médico do departamento de emergência do Grady Health System, que gere o maior hospital do Estado da Geórgia, em Atlanta.

O fio é responsabilizado por, pelo menos, nove mortes na semana passada. Em St. Louis, revelou a polícia, um sem abrigo foi encontrado morto dentro de um caixote do lixo, congelado, depois de as temperaturas terem caído para 21ºC negativos.

No sul do país, foram mesmo abertos vários centros de aquecimento nos Estados do Louisiana, Mississippi e Alabama. No Estado do Texas, a forte queda das temperaturas noturnas provocou raros nevões tão a sul, quando Austin, e vários acidentes automóveis pelo estado das estradas ao longo do Estado.

Em Savannah, no Estado da Georgia, onde a temperatura média em janeiro é de 16ºC, foi vista neve na noite de segunda para terça-feira, cuja queda pode aumentar até quarta-feira. “Eu nunca vi neve em Savannah, parágrafo”, afirmou um gestor de restaurante local, Sean Dempsey, que previu: “Basicamente, esta cidade vai fechar”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Debate

Desimportantizar os caraoqueiros

Paulo Tunhas

O pensamento-karaoke funciona como obstáculo a que se procure entender o que se passa à nossa volta. Os caraoqueiros estão-se, de resto, nas tintas. Só querem caraocar mais alto do que os outros.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site