Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Espírito Santo Internacional (ESI) está a estudar a apresentação de um pedido de insolvência. Segundo o Diário Económico, que apresenta a notícia na sua edição desta quinta-feira, tal pedido seria feito no Luxemburgo, onde a empresa está sediada, e permitiria tentar a recuperação financeira da holding do Grupo Espírito Santo, que atualmente se encontra em situação de falência técnica.

A confirmar-se o pedido de proteção judicial contra os credores e o subsequente plano de recuperação, os membros da família Espírito Santo poderiam ter de sair dos cargos gestores, tendo em conta as irregularidades de contabilidade que estão presentemente a ser alvo de investigação pelas autoridades luxemburguesas.

A família Espírito Santo detém 56% da ESI, que, na sequência da descoberta de um buraco financeiro no valor de 1,2 mil milhões de euros, vem tentando renegociar prazos de pagamento da sua dívida e a venda de ativos para salvar a empresa.

Esta quarta-feira, a Bolsa de Lisboa registou o sexto dia consecutivo em queda, fortemente penalizada pela descida de 11% das ações da Espírito Santo Finantial Group (ESFG), mas também pelas perdas da EDP (6%), PT (6%) e BES (5%), num dia em que apenas duas empresas cotadas – a Altri e a Galp Energia – registaram ganhos. Nas últimas duas semanas, a Bolsa lisboeta já perdeu cerca de 2,5 mil milhões de euros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR