Seis dezenas de amigos e admiradores de Diogo Vasconcelos reuniram-se esta noite no Porto para um jantar de homenagem ao empreendedor e político que desapareceu há três anos, a 8 de Junho de 2011. Nesse jantar foi anunciado que a Universidade de Aveiro irá criar uma sala com o seu nome e que, tal como os “Dialogue café” de que foi um dos dinamizadores, terá como objectivo por em contacto jovens de vários universidades de toda a Europa. Trata-se de uma iniciativa que contará com o apoio da Cisco, empresa onde Diogo Vasconcelos trabalhava quando morreu subitamente.

No jantar do Porto foi lida uma mensagem enviada por Sérgio Monteiro, secretário de Estado dos Transportes, onde se elogiava o pioneirismo “do Diogo”. Mas não só: “É que para além do pioneirismo foi capaz de vos contaminar, nos contaminar a todos, com estas ideias e com esta estranha forma de ver o mundo. Não pelas ideias em si, mas pela pessoa que sempre foi.”

De certa forma é a “pessoa que sempre foi” que reuniu o grupo que esteve no Porto. “Ao contrário de tantos outros que têm passado pelas nossas vidas, o Diogo foi mesmo capaz de mudar qualquer coisa na forma como nos vemos a nós próprios e ao mundo que nos rodeia”, concluiu Sérgio Monteiro.

Joaquim Borges Gouveia, professor catedrático da Universidade de Aveiro que também esteve no jantar, referiu que tinha há muito o objectivo de criar a sala Diogo Vasconcelos, “também por mim designada sala Anywhere”, pois ele, “de qualquer parte onde estivesse no mundo, tinha de andar conetado a todos os seus amigos, partilhando ‘ideias e negócios’ e sempre promovendo um espírito de partilha, de parceria”.

Ainda segundo este responsável do Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo da Universidade de Aveiro, a sala Diogo Vasconcelos, além de ligar várias universidades, “pretende ser um espaço de ligação de todos com todos e de um espaço de partilha de conhecimento entre alunos e antigos alunos, entre gente da universidade e gente das empresas e dos negócios”.