Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Grupo Parlamentar do PCP quer que o Banco de Portugal e a CMVM entreguem no Parlamento vários documentos relativos ao Banco Espírito Santo e ao próprio Grupo Espírito Santo, de preferência ainda antes das audições marcadas para os próximos dias, precisamente para discutir a crise no GES.

O requerimento assinado por Paulo Sá pede, por exemplo, à instituição liderada por Carlos Costa que dê acesso aos “resultados dos testes de esforço (stress tests) das entidades bancárias, e em particular ao BES”, pedidos pelo regulador bancário a 15 de março de 2011 e a 16 de abril de 2012. Solicitando a Carlos Tavares, presidente da CMVM, “documentação que reflita a intervenção da CMVM sobre os problemas – violação de regras do mercado – do GES e do BES, desde 2008, e as respostas do GES e do BES a essa intervenção”.

Em ambos os casos é pedida urgência nessa documentação, justificada pelos comunistas com “a necessidade de dispor, atempadamente, de informação relevante sobre a matéria em análise”.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR