Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O presidente da Rioforte deixou a administração da Espírito Santo Control (ES Control), holding de topo da família que tem estado no centro da polémica com o Grupo Espírito Santo (GES), avançou o Jornal de Negócios.

Com a saída de Manuel Fernando Espírito Santo, fica apenas um membro do ramo da família Espírito Santo na holding, Fernando Manuel Moniz Galvão Espírito Santo. O Negócios adianta que não conseguiu apurar os motivos da renúncia, concretizada a 2 de julho, altura em que a Rioforte está a ultimar o pedido de proteção de credores.

Manuel Fernando Espírito Santo é presidente não executivo da Rioforte. Com a sua saída da ES Control, o conselho da holding fica reduzido a seis membros: Fernando Manuel Moniz Galvão Espírito Santo, António Ricciardi, Ricardo Salgado, José Manuel Espírito Santo, Pedro Mosqueira do Amaral e Ricardo Abecassis Espírito Santo.

A ES Control está a ser investigada pela justiça luxemburguesa, afirmou o porta-voz da autoridade judicial luxemburguesa à agência Lusa, em junho. A Espírito Santo Internacional (ESI) e o Espírito Santo Financial Group (ESFG) são outras das empresas que podem estar na mira da Procuradoria do Luxemburgo, segundo a mesma fonte.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR