A diversidade de vida no planeta Terra é enorme, quase inimaginável. Os cientistas preveem que existam entre 7,5 e 10 milhões de espécies de animais, plantas e fungos (exclui os grupos Bacteria e Archaea). Entre os animais, a probabilidade de encontrar novas espécies de insetos é grande, mas encontrar novos mamíferos é muito raro. Macroscelides micus é a excepção.

Este pequeno mamífero de focinho comprido, com 19 centímetros e 28 gramas, parece-se com um musaranho, mas a análise dos genes do animal mostrou que era mais aparentado com os elefantes, que ultrapassam as sete toneladas. Curiosamente, as semelhanças físicas não vão além do nariz comprido e do continente de origem – África. “Esta coisa que se parece e age como os musaranhos que evoluíram em África está mais relacionado com os elefantes”, disse John Dumbacher, curador de aves e mamíferos na Academia de Ciências da Califórnia, em San Francisco.

A descrição que o investigador, um dos envolvidos na descoberta, faz do animal torna-o ainda mais estranho: tal como nos antílopes as pernas são finas e longas comparadas com o corpo e tal como os papa-formigas usa o nariz para procurar os insetos de que se alimenta.

O pequeno mamífero foi descoberto numa antiga formação vulcânica na Namíbia. “É emocionante pensar que ainda há áreas do mundo onde até mesmo a fauna mamífera é desconhecida e está à espera de ser explorada”, disse o investigador. O pelo avermelhado permite-lhe confundir-se com ambiente rochoso onde vive, mas pouco mais se sabe sobre este animal. Na próxima visita ao local os investigadores planeiam colocar coleiras com localizadores para seguirem a atividade dos sengis (como lhe chamam em inglês).