O relógio marcava 41 minutos e poucos segundos de jogo. Depois de um cruzamento vindo da esquerda a equipa do Arsenal lançou um rápido contra-ataque que apanhou o Manchester City desprevenido. Alexis Sanchéz furou pela direita e fez um passe a rasgar para Sanogo, o avançado dominou e entregou a bola “redondinha” a Aaron Ramsey. O galês, já dentro da área, de pé direito, bateu Willy Caballero. Golo do Arsenal, 2-0. Isto foi no domingo.

Não é coisa em que se pense logo. Quando chega a notícia da morte do ator Robin Williams, na segunda-feira à noite, vem à memória “Clube dos Poetas Mortos”, “O Bom Rebelde”, as personagens no grande e pequeno ecrã. Os sorrisos e as lágrimas motivados por interpretações magistrais. Mas passadas algumas horas… “Espera lá, o Ramsey marcou ontem!”

Há quem diga que não há coincidências, e quando Whitney Houston morreu, em Fevereiro de 2012, alguém tratou de começar a fazer as contas. A vários dos golos que Aaron Ramsey marcou na carreira sucedeu-se a morte de um famoso. E a lista não é tão pequena que seja desprezível.

• 1 de maio de 2011. Ramsey marca, no estádio do Arsenal, um golo ao Manchester United. No dia seguinte Osama Bin Laden é morto no Paquistão por soldados norte-americanos.

• 2 de outubro de 2011. O galês é o autor de um golo no estádio do Tottenham. Três dias depois Steve Jobs morre em casa, na Califórnia, após uma longa batalha contra um cancro pancreático.

• 19 de outubro de 2011. Já nos descontos, Aaron Ramsey marca o golo que dá a vitória ao Arsenal sobre o Marselha, por 1-0. No dia a seguir Muammar Kadafi é capturado perto de Sirte e é morto.

• 11 de fevereiro de 2012. O número 16 do Arsenal marca frente ao Sunderland. Nesse mesmo dia a a cantora e atriz Whitney Houston é encontrada morta na banheira de um quarto de hotel em Los Angeles.

• 30 de novembro de 2013. Ramsey faz dois golos no jogo do Arsenal contra o Cardiff City. No dia 1 de dezembro o ator Paul Walker morre num acidente de carro.

• E agora mais esta. 10 de Agosto. Aaron Ramsey faz o 2-0 frente o Manchester City, em jogo da Community Shield. No dia a seguir o ator Robin Williams é encontrado sem vida em casa.

É por tanta coincidência que já apelidaram os golos do galês como “os golos da morte”. Nas redes sociais não demorou até surgirem páginas a aludirem ao facto.

“Defender um remate de Aaron Ramsey é como salvar a vida a alguém”

Captura de ecrã 2014-08-12, às 12.35.15

“A maldição dos golos de Aaron Ramsey que matam celebridades”

Captura de ecrã 2014-08-12, às 12.35.49