Imagens positivas que prestam homenagem às curvas femininas. A hashtag #Fatkini está a tomar conta do Twitter e ambiciona promover duas ideias que nem sempre andam de mãos dadas: quer encorajar mulheres com excesso de peso a mostrar os corpos na praia (e nas redes sociais), bem como as marcas a apostar em biquínis disponíveis em tamanhos grandes.

https://twitter.com/FritzdeRoo/status/498856176285937664

A nova tendência, cuja hashtag junta as palavras “gorda” e “biquíni”, pretende celebrar “mulheres reais” e já é uma referência. Tanto no Twitter como no Instagram, é relativamente fácil encontrar fotografias de mulheres que, fugindo aos habituais padrões de beleza, despem-se de preconceitos e optam por aceitar as próprias curvas.

O movimento foi criado pela blogger de moda Gabi Fresh que, entretanto, é responsável por uma linha de fatos de banho em vários tamanhos. Já em 2012, diz o Independent, Gabi Fresh tinha publicado uma mensagem onde fazia um apelo claro: que as mulheres de todas as formas e feitios usassem o biquíni desejado. “Eu incentivo verdadeiramente a que vocês vão à praia (ou à piscina) neste verão — não deixem que os complexos vos impeçam de se divertirem”. Gaby acrescentou ainda: “Eu não estou à espera que todas se sintam confortáveis ao usar duas peças [de roupa], mas talvez consiga inspirar algumas de vocês a dar o salto”.

Há quem, no entanto, ponha em cima da mesa o facto de o movimento poder estar a promover a obesidade. Em resposta, um utilizador da rede social fez questão de explicar os motivos originais da tendência: “É sobre pessoas com excesso de peso não terem medo de usar o que querem. É sobre aceitar o que corpo que têm”.

A mesma publicação, tal como o Buzzfeed, diz que estes movimentos/comunidades estão a encorajar as lojas a vender biquínis em tamanhos maiores. O Independent dá o exemplo da Forever 21 que introduziu uma linha low-cost com swimwear em tamanhos grandes. O mesmo fez a distribuidora online Asos.

A hashtag em questão junta-se ainda a uma outra, #losehatenotweight, numa altura em que a sociedade continua a associar beleza feminina a magreza. Ainda no passado mês de julho, a Primark viu-se forçada a retirar uma manequim da montra de uma loja em Glasgow. Uma cliente não gostou do que viu — a manequim mostrava umas costelas muito salientes — e levou a reclamação para o Twitter. No respetivo tweet, a consumidora interrogou a marca sobre a atitude em questão. A Primark respondeu de forma urgente a prometer uma investigação, mas já o tweet tinha sido partilhado mais de 1.000 vezes.

https://twitter.com/Melfyx/statuses/491338935252303873

Mas esta não é a primeira vez que algo do género acontece, até porque no início do ano a marca de luxo de lingerie La Perla cometeu o mesmo erro. Desta vez foi uma loja em Manhattan, Nova Iorque, que teve de retirar uma manequim extremamente magra da montra.