Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A investigação está concluída e 16 pessoas vão responder pela morte de cinco adolescentes na noite de 1 de Novembro de 2012, no Madrid Arena. Entre esses acusados estará o chefe da Polícia Municipal de Madrid. O El Pais, que avança a notícia, conta que a acusação considera que ação da polícia municipal foi “nefasta”, e assim Emilio Monteagudo vai ter de responder em tribunal.

Na noite de Hallloween de 2012 uma festa no recinto Madrid Arena acabou por resultar na morte de cinco adolescentes que foram esmagados pela multidão. O El Pais escreve que “quase ninguém cumpriu com as obrigações naquela noite”, o organizador do espetáculo vendeu mais de 20 mil bilhetes quando a lotação do espaço era 7.500, os seguranças deixaram entrar ainda mais gente, o que fez com que a determinado momento estivessem no Madrid Arena cerca de 30 mil pessoas, a Polícia Municipal destacou apenas 12 agentes para um evento onde deveriam estar, pelo menos, 70. O dedo da acusação será também apontado, “por grande incompetência”, ao chefe do dispositivo médico por ter aceitado transformar numa enfermaria um espaço que nem água corrente tinha.

A multidão que se encontrava na festa descontrolou-se depois de ter sido lançado um petardo. Dos 16 acusados, vários, escreve o El Pais, serão acusados de homicídio por negligência.

O  Madrid Arena era um espaço do Ayuntamiento de Madrid (área metropolitana).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR