Tudo começa de forma habitual nestes vídeos. Um balde com água gelada, uma série de poses ridículas e um banho; mais umas poses ridículas e um desafio a um par de famosos. Mas depois, aos dois minutos, começa o vídeo que vale a pena ver. Anthony Carbajal, 26 anos, apresenta-se e conta que a doença genética está presente na sua família — a avó teve, a mãe tem, e em janeiro foi ele mesmo diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica.

Aí acaba a piada. O testemunho é comovente e acompanhado de imagens intensas que o mostram a tratar da sua mãe, expondo o grau de incapacidade atingido por um doente em estado terminal. O facto de o próprio autor do vídeo saber que tem esta doença e que daqui a poucos anos irá passar pela mesma situação é o que dá mais intensidade a este vídeo — e maior peso às palavras de Anthony Carbajal: “Só trinta mil pessoas nos Estados Unidos têm Esclerose Lateral Amiotrófica. Pouca gente sabe o que é. Não há qualquer incentivo para que as empresas farmacêutivas gastem dinheiro a combater uma doença de tão poucos, porque eu não dou lucro. Não valho o suficiente para ser salvo?”

“Agora as minhãs mãos estão a começar a ficar doridas. Começo a ter dificuldade a ligar o carro e a apertar os botões da camisa. Vou acabar por deixar de conseguir usar os meus braços e as minhas mãos. Vou deixar de conseguir andar, falar e respirar por mim próprio. E essa é a devastadora verdade da ELA.” “Não fazem ideia quão feliz fico cada vez que vejo um desafio de água gelada. Estou muito, muito grato. Adoro-vos”, diz Carbajal enquanto se despede.

O vídeo já vai a caminho dos nove milhões de visualizações. E é demonstrativo da atenção gerada pelo desafio do balde de água gelada — o anterior vídeo de Anthony Carbajal, feito em abril e repetindo parte deste mesmo testemunho, tem apenas 75 mil visualizações.