O presidente da ViniPortugal afirmou nesta sexta-feira que a promoção dos vinhos nacionais está no caminho certo, mas que a velocidade podia ser melhor, estimando que as exportações cresçam entre os dois e os três por cento este ano. Em declarações à Lusa à margem da cerimónia do Dia Mundial do Turismo, no Porto, o presidente da associação para a promoção dos vinhos portugueses, Jorge Monteiro, disse que se pode já antecipar que vão ser feitas “ligeiras alterações” nos mercados a serem trabalhados nos próximos anos, caindo a Finlândia (“um mercado que reagia mal às ações”) e passando a serem alvos o Japão e Singapura.

Sobre os números de 2014, Jorge Monteiro afirmou que “houve uma queda muito acentuada do granel, mas o crescimento do vinho engarrafado permitiu que em valor [se esteja] a crescer 2%”, valor que prevê que se mantenha para o resto do ano, podendo atingir os 3%.

“Não podemos ter grandes expectativas porque as economias nos principais destinos não têm comportamentos muito dinâmicos. Sentimos, por exemplo, que nos Estados Unidos está a crescer mais, mas, por exemplo, no Reino Unido o crescimento é mais modesto, na Alemanha é mais modesto. Apesar de tudo, o Brasil, este ano, teve um comportamento interessante. Na China as coisas não estão a correr como gostávamos”, declarou o presidente da ViniPortugal. Em suma, Jorge Monteiro reitera: “Pode não ser a velocidade de que gostaríamos, mas a direção é esta.”