As contribuições de Jean Tirole, o francês de 61 anos laureado nesta segunda-feira Nobel da Economia, “revolucionaram o modo de analisar e avaliar o funcionamento dos mercados”, afirma Pedro Pita Barros, professor de Economia da Nova School of Business and Economics (Nova SBE). Algumas das suas obras são “livros de referência para programas de mestrado e doutoramento” e foram “marcantes para uma geração de economistas”, nota o economista.

O francês era a primeira “aposta” de Pedro Pita Barros para Nobel da Economia 2014, como escreveu no seu blogue no domingo. Ao Observador, o professor da Nova SBE diz que “Jean Tirole tem um conjunto grande de contribuições no campo da regulação económica e concorrência”. “Teve contribuições que definiram todo o campo de regulação económica em condições de assimetria de informação entre entidade reguladora e empresas reguladas, e como estabelecer sistemas de pagamento da atividade dessas empresas que as levasse à procura de serem mais eficientes no que fazem”, explica Pedro Pita Barros.

“Esses trabalhos afetaram de forma importante o modo como é estabelecida a regulação setorial, desde as telecomunicações à eletricidade”, nota.

Jean Tirole foi nesta segunda-feira laureado com o Nobel da Economia, pela sua “análise do poder e da regulação dos mercados”. Pedro Pita Barros diz que “o livro de texto de Jean Tirole sobre economia industrial publicado em 1988, e que tive de ler e saber no verão de 1990, é ainda hoje um livro de referência para programas de mestrado e doutoramento”.

Professor da Nova SBE sublinha que as análises de concorrência de Jean Tirole “levaram ao nascimento do conceito de ‘two-sided markets’, isto é, mercados onde é necessário criar redes de clientes e de fornecedores ao mesmo tempo”.

“Outro livro famoso é o que tem com Jean-Jacques Laffont sobre regulação económica, de 1993, que ainda hoje é a base de muitos cursos avançados na área de regulação económica”, assinala o professor da SBE. Além disso, “tem um livro de 1991 com Drew Fudenberg sobre teoria dos jogos que também foi marcante para uma geração de economistas”. “São três livros de texto que sobrevivem bem, mesmo duas décadas passadas, além dos numerosos artigos científicos”.

Além dos contributos sobre as áreas específicas de regulação económica e política da concorrência, “Jean Tirole também teve contribuições técnicas para a forma de análise de mercados onde há poucas empresas concorrentes. Essas contribuições revolucionaram o modo de analisar e avaliar o funcionamento dos mercados”, defende Pedro Pita Barros.

O professor da Nova SBE acrescenta que as análises de concorrência de Jean Tirole “levaram ao nascimento do conceito de ‘two-sided markets’, isto é, mercados onde é necessário criar redes de clientes e de fornecedores ao mesmo tempo”. “O exemplo mais comum é o de cartões de crédito – só são interessantes para o consumidor se houver muitas lojas que os aceitem, mas só será do interesse das lojas aceitar se houver muitos consumidores”, explica o economista.

Além disso, “o trabalho que desenvolveu alterou a forma como as autoridades de concorrência olham para o que se chama ‘restrições verticais’, restrições contratuais impostas na cadeia de produção e venda de um bem ou serviço”. Isto é, “em lugar de lugar de proibições ou permissões gerais para determinadas práticas comerciais passou-se para a análise caso a caso, confrontando benefícios dessas práticas com os custos que possam impor ao funcionamento do setor (nomeadamente sobre as entidades que não estejam envolvidas)”, conclui Pedro Pita Barros.