Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

Era uma vez um presidente norte-americano que viu o cartão de crédito ser rejeitado num restaurante. “Pelos vistos não o uso o suficiente”, explicou Barack Obama ao Gabinete de Proteção do Consumidor de Serviços Financeiros, confirmando a história, que aconteceu a 24 de setembro. O presidente norte-americano viu o cartão ser recusado num restaurante de Nova Iorque e suspeitou que teria sido vítima de roubo de identidade, contou a Associated Press. Mas não: o problema terá sido usá-lo poucas vezes.

“Eles pensaram que haveria uma fraude”, disse, anunciando depois que o Executivo tinha um plano para apertar a segurança para os cartões de débito. A ordem executiva que dá corpo ao tal plano foi assinada esta sexta-feira. “Eu estava a tentar explicar à funcionária do restaurante ‘não, eu acho que tenho pago as minhas contas.'”, contou. Michelle Obama, depois de ter estado nas bocas do mundo por dançar com um nabo, sacou de outro cartão e salvou a noite. “Felizmente, a Michelle tinha o dela”, disse Obama.

Segundo a AP, o roubo de identidade é um problema em crescimento nos Estados Unidos que afeta cerca de 100 milhões de pessoas. “Até eu estou a ser afetado com isto”, disse Obama. Os funcionários do Estela, o tal restaurante de Nova Iorque, revelaram que não estavam autorizados a comentar o caso. Mas nem tudo ficou em segredo: o staff do restaurante publicou no Instagram o pedido da família Obama, mas teve de o retirar pouco depois. Contudo, um blog de comida, o Epicurius, captou as imagens antes de serem retiradas da internet e deu a conhecer ao mundo: duas saladas com endívias, burrata com molho verde, tomate e croquetes de bacalhau.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR