Crime

Atriz de “The Walking Dead” salva 55 escravas sexuais

545

Parece o argumento de um filme ou, mais a propósito, de uma série. A atriz de "The Walking Dead" ajudou a salvar 55 jovens da escravatura sexual, na Colômbia. Uma história com final feliz.

Laurie Holden participou nas primeiras três temporadas da série "The Walking Dead"

Getty Images

É uma heroína na vida real, escreve a Us Weekly, e com razão. A atriz Laurie Holden, conhecida pelo seu papel nas primeiras três temporadas da série televisiva The Walking Dead, esteve recentemente envolvida numa operação secreta que ajudou a salvar 55 escravas sexuais em Cartagena, na Colômbia.

Além da carreira de atriz, que inclui participações no pequeno e grande ecrã, Holden trabalha enquanto ativista dos direitos humanos num grupo chamado Operation Underground Railroad. Trata-se de uma organização liderada por um ex-agente da CIA , Tim Ballard, e tem como objetivo derrubar criminosos associados ao tráfico humano, explica a Elite Daily.

Holden viajou até à Colômbia para tentar expor um grupo de homens responsáveis pelo tráfico de prostitutas menores de idade. O grupo do qual a atriz faz parte montou um esquema para apanhá-los em flagrante, organizando uma festa que ocupou uma grande mansão: os traficantes foram levados a pensar que o evento tinha como objetivo facilitar a venda das raparigas a partes interessadas. O risco, ao que tudo indica, valeu a pena.

Uma equipa de televisão e agentes policiais colombianos estiveram escondidos durante a festa. Holden ficou encarregue de tomar conta das vítimas, enquanto Ballard convencia os traficantes a fazer uma falsa transação que foi registada pelos operadores de câmara. Ao todo, 55 jovens raparigas foram salvas. 

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)