É uma heroína na vida real, escreve a Us Weekly, e com razão. A atriz Laurie Holden, conhecida pelo seu papel nas primeiras três temporadas da série televisiva The Walking Dead, esteve recentemente envolvida numa operação secreta que ajudou a salvar 55 escravas sexuais em Cartagena, na Colômbia.

Além da carreira de atriz, que inclui participações no pequeno e grande ecrã, Holden trabalha enquanto ativista dos direitos humanos num grupo chamado Operation Underground Railroad. Trata-se de uma organização liderada por um ex-agente da CIA , Tim Ballard, e tem como objetivo derrubar criminosos associados ao tráfico humano, explica a Elite Daily.

Holden viajou até à Colômbia para tentar expor um grupo de homens responsáveis pelo tráfico de prostitutas menores de idade. O grupo do qual a atriz faz parte montou um esquema para apanhá-los em flagrante, organizando uma festa que ocupou uma grande mansão: os traficantes foram levados a pensar que o evento tinha como objetivo facilitar a venda das raparigas a partes interessadas. O risco, ao que tudo indica, valeu a pena.

Uma equipa de televisão e agentes policiais colombianos estiveram escondidos durante a festa. Holden ficou encarregue de tomar conta das vítimas, enquanto Ballard convencia os traficantes a fazer uma falsa transação que foi registada pelos operadores de câmara. Ao todo, 55 jovens raparigas foram salvas.