São de esperar novamente protestos contra a prova de avaliação de conhecimentos e capacidades (PACC) dos professores contratados com menos de cinco anos de serviço que está marcada para o dia 19 de dezembro. Os docentes continuam a estar contra a prova e prometem “luta” para esse dia.

“No que depender do Movimento Nacional de Professores Boicote&Cerco irá haver protestos, irá haver luta! O Movimento Boicote&Cerco vai dinamizar reuniões regionais por todo o país e aí será decidido democraticamente pelos professores o que fazer. Mas claramente somos contra esta PACC e consideramos que se deve lutar de uma forma consequente (como no passado) contra esta prova humilhante“, disse André Pestana, do movimento Boicote&Cerco, ao Observador.

No passado, ou seja, em dezembro do ano passado, este mesmo movimento dinamizou uma série de ações de protesto e boicote para o dia da prova de avaliação, impedindo muitos professores de realizarem a prova. Para esse dia também foi agendada uma greve, por parte da Fenprof. Também em julho, aquando da realização da segunda chamada desta prova, o dia ficou marcado por ações de protesto.

João Louceiro, da Fenprof, disse ao Observador que “agora que sabemos a data e uma vez que a discordância em relação à PACC se mantém vamos prosseguir com a luta. A forma de luta ainda vamos discutir, não esquecendo que a luta se faz com a participação dos professores”.

O ministro Nuno Crato ainda tentou que a prova se realizasse em instituições de ensino superior, a dia 20 de dezembro, mas a própria lei determina que estas avaliações sejam feitas em escolas ou agrupamentos de escolas.