Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Lisboa e Porto acolhem hotéis que, segundo o britânico The Times, estão entre os 20 mais sexy da Europa. Entre propostas românticas em cidades como Veneza, Paris ou Amesterdão, escolhidas a dedo pela jornalista Annabelle Thorpe, estão o histórico Palácio do Ramalhete, situado no Bairro das Janelas Verdes, e o The Yeatman, que tem feito chegar inúmeros prémios à Invicta e cujo restaurante, a cargo do chef aveirense Ricardo Costa, manteve a estrela Michelin em 2014.

Começando pela capital, o Palácio do Ramalhete ocupa a quinta posição de uma lista cujos critérios de seleção são desconhecidos. O exemplo de arquitetura portuguesa do século XVIII, com características originais que foram preservadas ao longo do tempo, é descrito como a “escolha ideal para os amantes do estilo vintage“, com interiores recheados de antiguidades e lounges adornados pelo muito tradicional (e nacional) azulejo. O site que dá a cara ao boutique hotel, com um total de 12 quartos e suites, descreve-o como sendo detentor de um “espírito queirosiano”, numa clara referência à da obra “Os Maias” de Eça de Queirós.

Mais a norte, o hotel vínico The Yeatman, no 19º lugar, tem como pano de fundo o rio Douro e o centro histórico de uma cidade que está cada vez mais na moda — o Porto foi considerado o Melhor Destino Europeu em 2014 pela European Consumers Choice, tal como em 2012, e entrou no top de 14 destinos para 2014 da operadora aérea britânica British Airways.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Regressando à unidade hoteleira, no site lê-se que o The Yeatman está doatado da “mais abrangente cave de vinhos portugueses no Mundo”, tendo, inclusive, parcerias com vários produtores de vinhos nacionais que participam ativamente em “programas de provas, seminários e jantares vínicos” ali organizados. Os 82 quartos e suites são personalizados tendo em conta um mesmo mote — em cada quarto estão expostos diferentes quadros e objetos alusivos à região e suas tradições. As divisões são ainda consideradas “espaçosas” e decoradas com um “estilo clássico”, além dos tradicionais azulejos.

A lista fica completa com outras propostas que incluem o L’Hôtel Particulier, em Arles, França, que na verdade é uma mansão do século XIX, e ainda o Canal House, situado naquela que é considerada a cidade europeia mais “liberal e descontraída” — isto é, Amesterdão.