Crise no GES

Riscos de exposição do BES ao Grupo Espírito Santo foram denunciados em 2001

234

Relatório elaborado em 2001 pela auditora PwC alertava para a exposição do Banco Espírito Santo às empresas do Grupo e denunciou a existência de empréstimos a seis sociedades offshore.

Problemas graves no banco liderado por Ricardo Salgado foram denunciados logo em 2001

© Hugo Amaral/Observador

Autor
  • João Cândido da Silva

“Há um risco enorme na concessão e extensão de créditos inapropriados” celebrados entre o Banco Espírito Santo (BES) e o Grupo Espírito Santo (GES). A denuncia foi agora conhecida, através de uma notícia avançada pela RTP, mas foi feita em 2001 pela PwC, num documento realizado a pedido da instituição financeira que entrou em colapso e foi objeto de resolução no início de agosto passado.

Há 13 anos, a PwC já alertava para problemas graves que afetavam o banco e a holding Espírito Santo Resources, que representava “o maior risco de exposição efectiva do grupo BES”. Na época, afirmava que a exposição do banco atingia “800 milhões de euros, a 31 de dezembro de 2000”. O documento, de maio de 2001, também adiantava a existência de empréstimos realizados a “seis empresas offshore”, no valor total de 785 milhões de euros, dinheiro que terá sido utilizado para facilitar a compra de ações do próprio BES, de unidades do GES e de outras empresas portuguesas.

O relatório continha um conjunto de recomendações, de acordo com a RTP, e propunha que, perante a dimensão da exposição a empresas do Grupo, a administração do BES deveria ter “em séria e urgente consideração a necessidade de criar um comité de auditoria formal”, que atuaria na fiscalização e controlo de empresas do GES, incluindo a Espírito Santo International e as empresas da área não fnanceira do Grupo. A opacidade também não escapou à PwC. “Há uma tendência dos altos quadros executivos para restringirem o fluxo de informação aos membros da administração ao essencial”. E a auditora lamenta, igualmente, as dificuldades que diz ter enfrentado na “disponibilidade de registos contabilísticos, ficheiros e documentos necessários às equipas de auditoria independente”.

A PwC foi substituída como auditora do BES em 2002, após a elaboração do documento em causa, mas a instituição financeira que foi liderada por Ricardo Salgado desde 1991 contratou dois dos quadros que o fizeram: João Martins Pereira e Nelson Pita. Os deputados da Comissão Parlamentar de Inquérito ao BES querem chamar ambos para audição.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)